Siga o Portal do Holanda

Famosos & TV

Pai de família é preso após passar 2 anos ameaçando Simone e Simaria

Publicado

em

Foto: Pedro Molinos / Instagram Foto: Pedro Molinos / Instagram
Foto: Pedro Molinos / Instagram

Um homem foi preso preventivamente Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, por injúria e ameaça, após passar dois anos ameaçando a dupla sertaneja Simone e Simaria, via redes sociais. Segundo o delegado Alexandre Quintão, o homem foi preso em casa, onde mora com a esposa e os dois filhos. 

Em sua ameaça mais recente, o homem dizia que caso a dupla quisesse fazer o seu show no estádio de Beira-Rio, em Porto Alegre, elas teriam que matá-lo. Foi quando a assessoria acionou o Ministério Público de Santana de Parnaíba, em São Paulo, onde mora Simone, e conseguiu obter o mandado de prisão com a Justiça paulista.

Em depoimento, o homem disse que conheceu Simone e Simaria em 1996, em Campo Grande e disse que na época, foi atingido por um tiro disparado por familiares da dupla sertaneja que não queriam que ele se aproximasse delas. Conforme o delegado, a alegação não é verdadeira: "A gente já verificou isso e não procede", informou. 

Ainda à polícia, o homem disse que passava por dificuldades financeiras e procurou a dupla via redes sociais para ajudá-lo, mas como não obteve resposta, passou a ameaçá-las. "Ultimamente ele começou a fazer ameaças muito fortes. Quando ele postou que, para fazer o show, deveriam matá-lo, a assessoria das cantoras ficou apavorada", disse o delegado.  

O suspeito também disse que ele era a inspiração para a música da dupla,, 126 cabides: "Para ele, fazia referência ao dia 1º de fevereiro de 1996, quando foi atacado em Campo Grande. Mas a letra nem é delas, é do compositor Tatau, do Araketu", explicou Quintão.  

Em nota, a assessoria das cantoras informou que denunciou o caso ao Ministério Público "por decorrência dos reiterados e graves ataques sofridos pelas artistas em suas respectivas redes sociais e no exclusivo objetivo de preservação da integridade física das cantoras e seus familiares".

A polícia informou, ainda, que o homem é usuário de crack e cocaína há duas décadas e que pode estar delirando devido ao uso contínuo de drogas. Ele possui alguns antecedentes criminais como furtos, desacato e desobediência à autoridade policial, além de ter quatro registros de violência doméstica.

Com informações do Uol.

Caso da busca na casa de Igor e Paola Valeiko Promotor errou, mas juiz errou mais

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

Copyright © 2006-2019 Portal do Holanda.