Em Manaus, deputado diz que brecar CPI da Saúde é equívoco

Por Portal do Holanda

24/09/2020 14h36 — em Manaus

Serafim Corrêa diz que CPI da Saúde mostrou irregularidades - Foto: Marcelo Araújo/Aleam

Manaus/AM - O deputado Serafim Corrêa (PSB) afirmou nesta quinta-feira, 24, que a não prorrogação por mais 60 dias da Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI) da Saúde da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) é um equívoco do governo do Estado, que está tentando “brecar” o trabalho da Comissão.

 “A CPI não é contra pessoas, ela identifica fatos. Equívocos que se repetem há ao menos 10 anos, como é o caso de pagamentos indenizatórios, que na área da Saúde somaram R$ 2 bilhões. É óbvio que essa daí é a mais grave irregularidade”, disse o parlamentar.

Serafim também chamou atenção de órgãos de fiscalização e controle, incluindo a ALE-AM, que não conseguiram identificar as falhas administrativas no executivo estadual há mais de 10 anos e disse que o governo deveria estimular a continuidade da CPI da Saúde para evitar permanência nos erros.

Oito anos

“Os indenizatórios vinham há 8 anos. O governo novo assumiu e continuou na mesma trajetória. Agora, o atual secretário de Saúde, Marcellus Campelo, vamos fazer justiça, está adotando medidas para fazer uma transição e, a partir de 2021, acabar com os indenizatórios. Para se ter uma ideia, os pagamentos indenizatórios nos últimos 10 anos somaram R$ 5 bilhões em todas as secretarias. A maior delas na Secretária de Saúde”, explicou o deputado.

Essa foi a primeira CPI com apelo e aprovação da sociedade que mostrou resultados e informações que apontaram falhas no uso de recursos públicos, inclusive de recursos do combate à covid-19.

+ Manaus