Bastidores da Política - Wilson Lima  pode cair. Vice envolvido pela PGR em escândalo  do qual não participou


Wilson Lima pode cair. Vice envolvido pela PGR em escândalo do qual não participou

Por RAIMUNDO DE HOLANDA

28/04/2021 21h04 — em Bastidores da Política

  • A inclusão de Carlos Almeida, ao lado do 'líder da organização criminosa', Wilson Lima, como afirma a subprocuradora Lindôra Araújo, na denúncia-crime feita ao Superior Tribunal de Justiça, revela o grau de politização da PGR, e a retaguarda dada a grupos que trabalhavam para manter o governador sangrando, mas no cargo, até 2022. Se Wilson vai cair, então a estratégia é “cancelar' Almeida, que no governo contrariaria muitos interesses.

Apesar de a Polícia Federal não ter encontrado indício da participação do vice-governador Carlos Almeida na organização criminosa que superfaturou a compra de respiradores no auge da pandemia de Covid 19 no Amazonas, ele foi incluído na denúncia feita ao Superior Tribunal de Justiça pela subprocuradora Lindôra Araujo. A inclusão de Carlos, ao lado de Wilson Lima e outros servidores,  revela o grau de politização da PGR, e a retaguarda dada a grupos que trabalhavam para manter o governador sangrando, mas no cargo,  até 2022.

Como o cenário mudou, com a investida do Palácio do Planalto contra os governadores, que segundo o presidente  Bolsonaro “roubaram recursos federais destinados a combater o coronavírus”,  a PGR parece ter entendido ser urgente a denúncia, até para retirar os holofotes postos sobre o presidente, acusado de negacionismo e de ter contribuído para milhares de mortes em todo o país.

O que não mudou foi o objetivo dos grupos que preferem ou preferiam Wilson Lima no cargo, sangrando. Se tiver que ser afastado pelo STJ, como pediu a PGR, o vice-governador deverá afundar no mesmo barco. Sua inclusão na denúncia mostra que esses grupos mantém forte influência na PGR. 

E por que temer Carlos?  Porque, apesar dos muitos defeitos de relacionamento, é mais qualificado, mais preparado do que Wilson Lima,  e muito provavelmente interferiria no processo sucessório de 2022.

Resta apostar que o ministro relator do caso no STJ, Francisco Falcão, aponte falhas na peça acusatória, considerando o que de fato foi apurado nas investigações da Policia Federal, que não identificou a participação de Carlos na Organização Criminosa.  Apostar não é o termo correto, é o senso e a responsabilidade pela aplicação da lei.

O que tem de correto na denúncia é que o governador Wilson Lima é chefe da organização  criminosa, como bem colocou a subprocuradora Lindôra Araújo, e cujo trecho  transcrevo abaixo:

"Os fatos ilícitos têm sido praticados sob o comando e orientação do governador do estado do Amazonas, Wilson Miranda lima, o qual detém domínio completo e final não apenas dos atos relativos a aquisição de respiradores para o enfrentamento da pandemias mas também de todas as demais ações governamentais relacionadas a questão, no bojo das quais atos ilícitos tem sido praticados”.

Incluir Carlos Almeida na denúncia-crime contra Wilson Lima no STJ  é só uma invenção,  um subterfúgio,  uma tentativa  de agradar alguns, marginalizando quem nenhuma culpa tem nesse triste episódio que marcou a história do Estado do Amazonas.

Raimundo de Holanda é jornalista de Manaus. Passou pelo "O Jornal", "Jornal do Commercio", "A Notícia", "O Estado do Amazonas" e outros veículos de comunicação do Amazonas. Foi correspondente substituto do "Jornal do Brasil" em meados dos anos 80. Atualmente escreve a coluna Bastidores no Portal que leva seu nome.