Bastidores da Política - Prisão do secretário de Inteligência mostra corrupção policial e aproxima Manaus da Velha Chicago


Prisão do secretário de Inteligência mostra corrupção policial e aproxima Manaus da Velha Chicago

Por RAIMUNDO DE HOLANDA

10/07/2021 19h53 — em Bastidores da Política

O poeta e jornalista Aldísio Figueira diz, em uma de suas poesias, que Manaus nunca será Liverpool. É verdade, mas se aproxima da velha Chicago dos anos 30, onde o sistema policial é parcialmente corrompido e organizações criminosas crescem assustadoramente.

Piccolotto em uma das apreensões na BR - 174A “Operação Garimpo Urbano”, realizada pelo Ministério Público do Amazonas, daria um filme. Numa cidade onde polícia e crime se misturam, uma Organização Criminosa monta seu gabinete de decisões dentro da estrutura do governo. Tem equipamentos sofisticados, faz escutas, monitora o deslocamento de contrabandistas de ouro, apreende carga e dela se  apodera ou se torna sócia  do negócio.

O roteiro nem precisa ser escrito. Pode ser tirado de um inquérito aberto pela Delegacia de Combate à Corrupção, enviado ao Gaeco e à Policia Federal por um delegado exonerado porque quis dar andamento a uma investigação barrada por interferência do secretário de Inteligência, Samir Freire, afastado do cargo após sua prisão na sexta-feira.

O set de filmagem pode ser a estrutura da Secretaria de Segurança, onde a Seai está subordinada e os fatos acontecem  porque  dali, de uma sala contígua a do secretario de Segurança, um coronel da Polícia Militar, partem as ordens para o achaque e o roubo.

Certeza de bilheteria, uma história para ser lembrada por gerações.

Tem até um contrabandista que, depois de ser achacado e roubado vai à delegacia e conta toda a história. Uma viatura da Policia Militar é incendiada, supostamente para obstruir investigações, apagar videos ou vestígios do crime de roubo, extorsão e corrupção.  Oficiais da Polícia Militar envolvidos. É mesmo uma trama de arrepiar.

O poeta e jornalista Aldísio Figueira diz, em uma de suas poesias, que Manaus nunca será Liverpool. É verdade, mas se aproxima da velha Chicago dos anos 30, onde o sistema policial é parcialmente corrompido e organizações criminosas crescem assustadoramente. E, de certa forma, têm seus métodos copiados por uma instituição criada para defender a sociedade.

Na verdade, invés de combater  ações criminosas, o sistema de segurança faz um Control C e um Control V de seus métodos.

É preciso mudar isso, para preservar os bons policiais, que são muitos e acabam sendo misturados a um lixo do qual nunca participaram. Homens que têm noção do dever como militares, homens que honram a farda que vestem.

Ficha técnica:

Direção - MP-AM - GAECO.

Elenco do Filme e alvos de prisão temporária:

Samir Garzedim Freire

Adriano José Friko

Jarday Bello Vieira

André Silva da Costa

Atores coadjuvantes, onde houve busca a apreensão em suas casas:

Jociel  Andrade de Freitas

Diego Alves Piccolotto de Carvalho (candidato ao Oscar, como ator coadjuvante pelo seu desempenho na ORCRIM

Daniel Piccolotto de Carvalho

Wagner Flexa Saita

Raimundo José Cruz Júnior.

 

Direção - MP-AM - GAECO.

Raimundo de Holanda é jornalista de Manaus. Passou pelo "O Jornal", "Jornal do Commercio", "A Notícia", "O Estado do Amazonas" e outros veículos de comunicação do Amazonas. Foi correspondente substituto do "Jornal do Brasil" em meados dos anos 80. Atualmente escreve a coluna Bastidores no Portal que leva seu nome.