Compartilhe este texto

Policial não é bandido


Por Raimundo de Holanda

28/02/2024 19h39 — em
Bastidores da Política


  • Quando a fronteira que separa o homem da lei do delinquente é ultrapassada toda a sociedade é violentada.

Um policial que invade casa, bate em mulher, aponta fuzil para idosos e crianças é um delinquente que precisa e deve ser contido. O caso de violência ocorrido no bairro da Raiz no último fim de semana não é um fato isolado. Tem se repetido. Ou é tolerado ou simplesmente ignorado pela cúpula da polícia. Que falha duplamente. 

Falha ao não monitorar  comportamentos agressivos de alguns policiais. Falha mesmo quando os afasta sob pressão da sociedade, mas os mantém em serviço interno, quando deveriam passar por tratamento psicológico ou mesmo psiquiátrico.

Entende-se a vida difícil de um policial, a pressão da família, o estresse causado pela rotina e pelo perigo, mas isso não faculta a ele o direito de agredir cidadãos indefesos. 

Quando a fronteira que separa o homem da lei do delinquente é ultrapassada toda a sociedade é violentada.

Temos uma ideia equivocada de polícia. O governo investe pouco na saúde mental dos policiais. É de se perguntar quantos psicólogos, assistentes sociais e psiquiatras fazem parte de um grupo de apoio a PMS que perderam o controle e que poderiam muito bem ser tratados? 

Dinheiro não falta. A Lei de Diretrizes Orçamentárias aprovada pela Assembleia Legislativas no final do ano passado previa destinar para a área de Segurança este ano R$ 2,872 bilhões. 

É muita grana. Falta saber gastar, especialmente  com inteligência  e em inteligência.

Siga-nos no

ASSUNTOS: Amazonas, Manaus, policias militar

Raimundo de Holanda é jornalista de Manaus. Passou pelo "O Jornal", "Jornal do Commercio", "A Notícia", "O Estado do Amazonas" e outros veículos de comunicação do Amazonas. Foi correspondente substituto do "Jornal do Brasil" em meados dos anos 80. Tem formação superior em Gestão Pública. Atualmente escreve a coluna Bastidores no Portal que leva seu nome.