João Gilberto é retratado com afeto em biografia de Zuza Homem de Mello

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

27/10/2021 18h07 — em Arte e Cultura

FOLHAPRESS - O nome "Amoroso" define perfeitamente o perfil biográfico de João Gilberto que chega agora às livrarias, assinado pelo jornalista, pesquisador e produtor musical Zuza Homem de Mello. Mais do que uma rica descrição da trajetória do cantor, as páginas de "Amoroso: Uma Biografia de João Gilberto" são uma celebração da admiração de Zuza pelo mito da MPB e da amizade entre os dois.

O livro traz aquela saborosa intimidade sempre presente nos relatos do autor sobre episódios da cena musical brasileira. Zuza é a mais perfeita tradução da chamada testemunha ocular da história.

Ele trabalhava na TV Record no início dos anos 1960, época em que a emissora assumiu protagonismo ao levar a música brasileira para a casa das pessoas. E foi no mesmo período que João Gilberto redefiniu caminhos musicais com a bossa nova, fazendo aparições no canal.

Os dois têm mais coisas em comum –conhecimento enciclopédico de música, tranquilidade ao conversar e elegância rara em suas atitudes. Há 20 anos, Zuza lançou o livro "Folha Explica - João Gilberto", pelo Publifolha. Entre inúmeros outros trabalhos, passou duas décadas dedicado a uma intensa pesquisa para ampliar sua visão sobre vida e obra de João Gilberto, desta vez para um volume definitivo.

O cantor morreu em 2019, aos 88 anos, deixando tristes muitas gerações de fãs. Sua maneira suave de cantar e sua técnica ímpar no violão influenciaram artistas diversos, de jazzistas americanos a cantoras pop japonesas. Notadamente, uma safra brilhante na MPB surgida nos 1960, com Caetano Veloso, Gilberto Gil e Chico Buarque como discípulos confessos.

No ano passado, quatro dias depois de dar como concluído esse trabalho, Zuza morreu de infarto enquanto dormia, no dia 4 de outubro. Tinha 87 anos. Ercília Lobo, sua viúva, cuidou da edição final do material. O resultado das pesquisas rigorosas do musicólogo une apuração farta, texto impecável e uma visão única de seu relacionamento com o biografado.

O caráter pessoal do texto fica mais evidenciado ainda quando Zuza decide não abrir o livro seguindo a cronologia dos fatos da vida de João. O primeiro capítulo, com o singelo título "Amizade", conta como ele conheceu João Gilberto, depois de várias chances perdidas de conversar com ele por culpa da timidez diante do ídolo. Nessas páginas, ele retorna a vários encontros memoráveis em uma relação de quase seis décadas.

A leitura já começa com a reprodução de deliciosas conversas ao telefone. João Gilberto gostava de ligar para os amigos de madrugada e passar horas conversando sobre música. E seu vasto discurso sobre a canção brasileira encontrava um complemento ideal no conhecimento minucioso de Zuza. Eles comentam canções antigas que dão vontade de ir correndo escutar.

Completamente fisgado por essa abertura, o leitor passa para a jornada de João, de Juazeiro, no interior da Bahia, até tomar literalmente o mundo. Os passos do cantor nesse crescente reconhecimento internacional são detalhados no livro. E, como deve acontecer nas boas biografias, até os fãs mais intensos do cantor podem se surpreender com episódios da vida do artista pouco divulgados pela mídia. Um exemplo é o período passado em Porto Alegre, em 1955, quando aprendeu muito sobre harmonia com o compositor Armando Albuquerque.

Falando em aspectos técnicos, talvez um ou outro leitor mais exigente sinta falta de mais análise sobre a revolução musical provocada por João Gilberto. Zuza poderia realmente ter aumentado o volume em dezenas e dezenas de páginas pinçando material entre as inúmeras considerações que publicou em livros e trabalhos jornalísticos sobre a obra do baiano.

Mas "Amoroso" é definitivamente a opção por uma narrativa guiada pela emoção. Isso transparece até na maneira de Zuza escrever. Embora seu estilo inconfundível, agradável e elegante, percorra todo o livro, fica evidente a extrema alegria ao relembrar as coisas de João Gilberto em seu auge e também uma certa melancolia no relato dos últimos anos de vida do cantor.

Zuza não foge dos problemas financeiros e familiares enfrentados por João em sua reclusão no apartamento no Rio de Janeiro. Mas é clara sua empolgação pelo cantor no auge do sucesso e por sua influência musical por todo o planeta, construída apenas com voz e violão.

Há destaque para a aceitação da bossa nova nos Estados Unidos, sua colaboração clássica com o saxofonista Stan Getz e sua relação com Caetano Veloso. São momentos como esse que deixam o livro interessante além do próprio João e até mesmo da bossa nova. É um volume essencial sobre música, de qualquer gênero.

Nesse resgate da figura do artista, outro relato recentemente publicado por um amigo do cantor foi "João Gilberto, A Bossa", pela Lazuli Editora, escrito por Luiz Galvão, dos Novos Baianos, que destaca a generosidade de João com os amigos. Zuza também escreve sobre essa e outras facetas do biografado e põe abaixo muito dessa aura de rabugento que sempre acompanhou João Gilberto.

Quem admira o cantor e, principalmente, conseguiu chegar perto dele credita essa fama ao perfeccionismo, este sim um traço verdadeiro e exacerbado. Impossível não ficar impressionado com o momento em que João, durante um show em Campinas, no interior paulista, alerta o fotógrafo agachado no meio da plateia para o incômodo que sentia com o barulhinho do disparador da máquina.

Narrativa equilibrada entre informação e emoção, "Amoroso: Uma Biografia de João Gilberto" é um livro obrigatório na estante de quem procura compreender a MPB. Pode ser colocado junto a vários outros títulos de Zuza Homem de Mello.

AMOROSO: UMA BIOGRAFIA DE JOÃO GILBERTO

Avaliação Ótimo

Preço R$ 89,90 (344 págs.): R$ 39,90 (ebook)

Autor Zuza Homem de Mello

Editora Companhia das Letras


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

+ Arte e Cultura