Compartilhe este texto

João Campos, prefeito do Recife, 'neva' os cabelos, vira hit na web e nega jogada de marketing

Por Folha de São Paulo

19/02/2024 8h00 — em
Arte e Cultura



SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - No Instagram e no Tik Tok, João Campos, prefeito do Recife (PSB-PE), é sucesso entre os internautas, não só em Pernambuco, mas em todo o Brasil. No Carnaval, descoloriu os cabelos, atendendo aos pedidos de "nevar" dos seguidores e estampou portais de notícias dançando músicas de "brega funk" nos shows do centro da cidade. Nas redes, ele é chamado "meu prefeito" por muitos seguidores.

Ao site F5, João Campos disse que resolveu "nevar" o cabelo como uma brincadeira de Carnaval, depois de tantos pedidos: "me perguntavam todo dia: 'e aí, obrigada pela obra, mas vai nevar ou não vai?'". Quando começou o processo de transformação, fez uma ligação de vídeo com a namorada, a deputada estadual Tábata Amaral (PSDB/SP).

"No início, ela olhou um pouco assustada assim, né? Tem uma coisa engraçada, você fica achando estranho no primeiro momento. Então, impactou muito, mas ela me disse que gostou".

Campos ainda diz que outro aspecto o fez cair de cabeça --literalmente-- no pedido dos internautas: "Descolorir o cabelo surgiu muito como uma cultura periférica. Então, quando eu tive clareza disso, de que é um movimento para deixar muito claro que não cabe preconceito, não cabe nenhum tipo de visão atravessada de uma gente de uma área da cidade tão criativa, forte e com uma força cultural imensa".

A homenagem à cultura periférica, no entanto, não durou muito: os cabelos "nevados" do prefeito sumiram logo após o Carnaval. Na Quarta-Feira de Cinzas, eles já voltaram ao castanho claro de sempre.

Aos 30, Campos entra no quarto ano de mandato. Membro da família Campos-Arraes, que protagoniza a política pernambucana desde 1940, não foi surpresa quando, aos 25, foi eleito deputado federal, e se tornou prefeito em 2021, aos 27. Até Ivete Sangalo ficou impressionada com a idade do prefeito mais jovem do país. Por isso, é fácil para ele ver a importância das redes sociais para a imagem política, além de usá-las como instrumento de transparência e acompanhamento da gestão.

"A política tem que entender que a transparência deve acontecer, não só com os grandes portais da transparência. Ser transparente é ser verdadeiro e, hoje em dia, é você apresentar a sua rotina, suas decisões. Então eu uso muito a rede social porque eu acho que é importante o eleitor saber o que está acontecendo", diz o prefeito, atualmente com 2,3 milhões de seguidores no Instagram, 433 mil no TikTok e pouco mais de 460 mil no X (ex-Twitter).

Segundo a Folha de S.Paulo, em outubro do ano passado, o prefeito turbinou sua comunicação e, para além do orçamento inicial, destinou R$ 27,5 milhões a essa área, ainda antes do início do ano eleitoral. "Se os serviços públicos e as prefeituras, enfim, governos, não entenderem que têm que se aproximar cada vez mais da população, ter a capacidade de escuta, fazer participação social efetiva através das redes, eu acho que vai ficando cada vez mais difícil", opinou.

Campos nega que sua estratégia nas redes se trate de marketing político. Diz que se expressa bem por meio delas, onde, segundo ele, se comporta de maneira autêntica: "Sou na rede o que eu sou na minha vida mesmo. Isso que eu acho que é a grande diferença: não adianta ter um personagem".

Ele diz que é exigente com o conteúdo de seus perfis e que participa ativamente de tudo: "Semanalmente eu faço a programação, cobro muito, critico, peço ajuste, acompanho tudo. Eu acho que as pessoas fazem muito assim, um 'manualzinho' para encaixar em qualquer pessoa. Aquilo não funciona".

O prefeito também citou a influência de Eduardo Campos, seu pai, que morreu em 2014 vítima de um acidente aéreo que ocorreu enquanto concorria à Presidência da República naquele ano. "A maior inspiração da minha vida é meu pai. No tempo dele não tinha uma rede social tão forte, mas ele não abria mão de se comunicar com as pessoas. Ele era um dos maiores comunicadores que eu já vi", diz.


Siga-nos no
O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Arte e Cultura

+ Arte e Cultura