Compartilhe este texto

Caderno de noivo revela confissão do assassinato de Gabby Petito

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

24/06/2022 20h36 — em
Arte e Cultura



SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O advogado da família de Brian Laundrie, 23, divulgou um caderno encontrado perto do corpo dele no qual admite ter assassinado sua noiva, a influenciadora digital Gabby Petito, 22. Ela foi encontrada morta em setembro do ano passado em um parque no Estado de Wyoming, nos Estados Unidos.

"Eu acabei com a vida dela", escreveu Laundrie no caderno, que foi encontrado em outubro de 2021 após sua morte por suicídio. Um médico legista determinou que Gabby morreu por estrangulamento.

"Achei misericordioso, que era o que ela queria, mas agora vejo todos os erros que cometi", escreveu Laundrie. "Entrei em pânico. Fiquei em choque. Mas a partir do momento que decidi, tirei a dor dela, sabia que não poderia continuar sem ela."

Laundrie, que desapareceu em meio a pedidos de prisão em todo o país, foi encontrado morto por um ferimento de bala no deserto da Flórida, em outubro do ano passado. No caderno, que foi fornecido à revista People E pelo advogado Steven Bertolino, Laundrie se referiu à morte de Petito como uma "tragédia inesperada".

Ele alegou que Petito ficou ferida quando o casal correu de volta para o carro antes que ficasse muito escuro para ver e tentou atravessar um riacho. Laundrie afirmou que Petito tinha uma "pequena protuberância na testa que acabou ficando maior", além de outros ferimentos, e que ela estava "implorando pelo fim de sua dor".

Um advogado da família Petito, Patrick Reilly, disse à People que a afirmação de Laundrie de que o assassinato foi misericordioso e decorreu de um "trágico acidente" é "absurda". "Ele está escrevendo uma carta como se quisesse que as pessoas sentissem pena dele", disse Reilly.

Questionado sobre como a família Petito se sente sobre a confissão de Laundrie, Reilly diz: "Eu não acho que haja nada que possa fazê-los se sentir melhor sobre isso".

A família de Petito moveu uma ação civil contra a família de Laundrie. O processo alega que Christopher e Roberta Laundrie sabiam do paradeiro do corpo de Petito durante o período em que as autoridades estavam usando recursos em uma investigação massiva de pessoas desaparecidas.



O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Arte e Cultura

+ Arte e Cultura