Compartilhe este texto

Agnes Brichta diz que teve autonomia ao atuar com pai em 'Quanto Mais Vida, Melhor!'

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

19/01/2022 8h36 — em
Arte e Cultura



SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - "Trabalhar com filho é o maior barato", diz Vladimir Brichta, 45, sobre atuar com sua primogênita Agnes, 24, em "Quanto Mais Vida, Melhor!" (Globo). Embora o ator defina a experiência como "especial, tocante e prazerosa", ela é também "muito difícil". Na visão dele, é preciso saber se distanciar do papel paterno.

"Eu preciso enxergar ali uma colega de trabalho. Se eu enxergar uma filha, isso vai me atrapalhar e eu posso atrapalhar ela", explica. Diante da situação, ele afirma que só existia uma forma de agir: tratar a filha como uma colega de elenco qualquer, sem tratamento especial. "Quem olhar de longe, pode até falar: 'Ele é frio como pai, né."

Em novembro do ano passado, quando falou com a imprensa sobre o assunto, Vladimir ainda tinha dúvidas sobre como a sua atitude tinha sido encarada pela filha: estaria ela decepcionada?

Agnes Brichta, que faz a sua estreia na TV na comédia escrita por Mauro Wilson, diz que não. Pelo contrário. O distanciamento do pai foi a atitude acertada. A atriz afirma que, assim, pôde desenvolver sozinha o que funcionava para ela em questões subjetivas como a melhor forma de se concentrar antes de uma cena ou como decorar os diálogos.

"Foi ótimo. Ele me deu esse espaço todo para que eu pudesse descobrir. Eu não fazia ideia de como trabalharia, o que era bom para mim. E eu pude tatear por mim mesma, mesmo tendo o meu pai ali, no mesmo ambiente, porque a gente teve essa mesma cabeça profissional de respeitar o espaço de cada um", afirma.

Agnes relata que Vladimir sempre deu autonomia para que ela fosse atrás do que quisesse ser e fazer na vida. "Ele sempre teve um desejo muito grande que eu fosse atrás por mim mesma, sem muita interferência. No campo profissional, mas também em outras áreas. Até no meu modo de me vestir, ele me deu muita liberdade", diz.

Mesmo antes da estreia da novela, o ator fez questão de ressaltar que a entrada de Agnes na trama não teve nada a ver com ele. A atriz foi chamada para um teste após Guilherme Gobbi, produtor de elenco de "Quanto Mais Vida", ver a atuação dela em uma apresentação online da faculdade de teatro.

Ela fez testes online —o que foi "bem inusitado", segundo afirma— e foi selecionada para encarar Martina, a filha mais velha do jogador de futebol Neném, interpretado por Vladimir. Mas tirando a admiração e a relação próxima que Tina tem com o pai —assim como Agnes tem com o pai ator— a atriz diz não ter muitos pontos em comum com a jovem.

A começar que não é esquentada nem muito fã de futebol ou de práticas esportivas. "Eu acho ela bem diferente de mim, sou bem mais conciliadora. Talvez, em um lugar de vulnerabilidade eu tenha emprestado alguma coisa minha a ela, ainda que eu não me sinta muito insegura no campo romântico como ela", compara.

Para fazer Tina, Agnes conta que se inspirou em pessoas reais e da ficção, como Casey, a irmã do protagonista Sam, da série "Atypical", da Netflix, e em Kat, a jogadora de futebol marrenta de "10 Coisas que Eu Odeio em Você".

A atriz lembra que o filme é uma releitura do clássico "A Megera Domada", de William Shakespeare —tanto no longa como na novela, a personagem é uma mocinha não muita doce que tem uma irmã chamada Bianca que é o seu oposto: toda romântica e sonhadora.

"A Tina se aproxima dessa persona, dessa intensidade, de ser mais estressada, focada na dela e que por acaso se apaixona". Antes de fazer as cenas de romance com Tigrão (Matheus Abreu), Agnes conta que revia o filme para ver a dinâmica entre Kat (Julia Stiles) e Patrick (Heath Ledger). "Acho esse casal ótimo para Tina e Tigrão", diz.

Curiosamente, a atriz Adriana Esteves, madrasta de Agnes, também fez uma personagem inspirada em "A Megera Domada": a Catarina, de "O Cravo e a Rosa", novela de 2000, que atualmente é reprisada na Globo —a mãe de Agnes, a cantora Gena Karla Ribeiro, morreu quando a atriz tinha dois anos.

Agnes se define como uma atriz estudiosa e "cabeçuda". Neste sentido, afirma ter encontrado em Matheus um parceiro "muito interessado", "criativo" e que topou criar esse casal que tem feito sucesso com o público, além de ter tirado dúvidas mais técnicas dela. "Eu fazia muitas perguntas como: 'será que estou na posição da luz fazendo sombra em você? E ele dava essa ajudada", comenta aos risos.

DESAFIOS

Assim como Neném, Martina é craque no futebol, o que se tornou um verdadeiro desafio para Agnes. Quando estava na escola, ela conta que sempre corria para ser a goleira do time. "Eu não confiava nos meus pés, achava mais fácil usar as mãos", recorda.

Para ajudar nas cenas, a atriz, Vladimir e todo o núcleo contou com a consultora de Jamir Gomes, ex-atleta com passagens pelo Grêmio e Botafogo. "Com ele na minha vida, eu percebi que poderia ter ousado mais na escola e que iria gostar, porque acabei tomando muitos gols", diverte-se.

Apesar da experiência positiva, ela avisa que continua sendo "perna de pau". "Mas agora eu tenho mais amor e interesse pelo universo, com certeza", completa Agnes, uma flamenguista nada fanática.

Ela diz que também ficou muito feliz em poder dar vida a uma jogadora de futebol, profissão que, na sua visão, ainda não tem o reconhecimento merecido no Brasil. "A gente deseja que por meio da novela fale-se mais, valorize-se mais, tenha mais público e investimento no futebol feminino. É muita luta ainda para uma mulher jogar futebol e ver o esporte como uma carreira louvável", destaca.

Com as gravações já concluídas desde o fim de novembro, Agnes conta que não perde um capítulo de "Quanto Mais Vida" e tem adorado interagir por meio de suas redes sociais com o público. "Eu aprendo muito assistindo, vejo o quanto eu realmente consegui transmitir de todas as minhas intenções quando estava fazendo a cena, o que realmente consegue ser captado, o que as pessoas estão achando que está sendo captado também", analisa.

A atriz avalia que a repercussão de Martina tem sido positiva até o momento. "Isso me deixa muito feliz, porque já me dá um grande ganho saber que ficou uma personagem crível o suficiente para as pessoas se identificarem com ela. Era o meu desejo", salienta. "Eu estou encantada fazendo a novela, e tem gente encantada vendo a novela, então, pronto, deu match", acrescenta.

Do pai, também tem escutado feedbacks positivos. "Vamos lembrar com muito carinho dessa novela, cada troca, cada cena que fizemos juntos." Vladimir concorda. Não foi fácil se distanciar do papel de pai, mas foi um "presentaço".


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Arte e Cultura

+ Arte e Cultura