Mulheres na construção civil

Por

11/06/2014 12h43 — em Amazonas

Decididas a romper as barreiras impostas às mulheres no mercado de trabalho da construção civil, as estudantes Tarine Vasconcelos da Silva, e Rana de Lima Bento, mostram mais que disposição para desempenhar suas funções nas ocupações industriais de alvenaria, jardinagem e paisagismo. Elas estão entre os alunos que irão representar o SENAI Amazonas na Olimpíada do Conhecimento 2014, em setembro, em Belo Horizonte.

Maior competição de educação profissional das Américas, a Olimpíada do Conhecimento é uma vitrine das tendências atuais e futuras entre as ocupações da indústria brasileira. Alunos do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, de todo o país, competem com base no aprendizado adquirido em sala de aula e em concordância com a demanda industrial, as tecnologias de ponta desenvolvidas pela instituição e parceiros, e inovação industrial.

Tarine da Silva vai competir na ocupação Construção em Alvenaria, e Rana Bento, em Jardinagem e Paisagismo. As aulas práticas de ambas requerem força braçal, com tarefas pesadas realizadas de segunda a sexta, visando o aperfeiçoamento profissional e uma boa resistência física. A Olimpíada reunirá os melhores alunos dos 27 Departamentos Regionais do SENAI.

Única mulher entre 21 competidores de todo o país numa ocupação que na prática é de pedreiro, Tarine usa o diferencial do sexo como motivador e supostas desvantagens em benefício próprio. É detalhista e desenvolve as tarefas com capricho, que são características da maioria das jovens de sua faixa etária.

“Além de mulher sou magra, mas nenhum desses aspectos me impede de aprender a profissão de pedreira. Sei interpretar as tarefas e construir os projetos em alvenaria”, disse Tarine, ressaltando que o mais importante nesta fase de sua vida é a descoberta da profissão que pretende seguir que é de engenheira civil.

Na ocupação Jardinagem e Paisagismo, a aluna Rana Bento contará com a parceria do colega Jackson dos Santos, para entrar na disputa por medalha. Para a aluna o importante é superar a si mesma para poder superar as outras seis duplas que vão  competir nessa ocupação.

Os treinamentos de construções de alvenaria e de jardinagem e paisagismo são realizados na Escola SENAI Demóstenes Travessa, unidade voltada à formação de trabalhadores para a indústria da construção civil. As duas alunas são treinadas por outras duas mulheres, as instrutoras Sônia Rocha e Antônia Souza.

Para a instrutora Antônia, a aluna Rana possui diferenças relevantes no trabalho de paisagismo, urbanismo, decoração e jardinagem. “Treino dois alunos nesta ocupação e me surpreendi quando percebi que Rana tomava a frente do trabalho pesado. Ela não tem medo do trabalho duro, é rápida e inteligente. Suas características complementam o potencial profissional de Jackson, um aluno que tem vasta percepção de como se deve executar o projeto. Essa é uma forte dupla, candidata a subir ao pódio da Olimpíada do Conhecimento”, avalia a instrutora de jardinagem e paisagismo.

Ao se sentir descriminada por atuar numa profissão que exige esforço físico, Rana declara: “Não gosto que duvidem da minha capacidade só porque sou mulher. Estou preparada para pegar no pesado nos projetos de jardinagem e paisagismo. Mas não é apenas em areia, plantas, pedras, tijolos e projetos que quero pegar, vou também segurar e trazer a medalha nesta ocupação para o SENAI Amazonas”, disse a aluna.

O preconceito em relação às alunas e instrutoras da construção civil passa longe da Escola SENAI Demóstenes Travessa, pois as mesmas vivenciam a profissão de igual para igual com o sexo masculino, sendo muitas vezes mais elogiadas no trabalho do que os colegas homens da mesma profissão.

“Aqui não há preconceitos de profissões escolhidas pelos alunos. Somos todos capazes de aprender e executar atividades industriais. A igualdade na ocupação de algumas profissões ainda está distante, mas aos poucos as mulheres estão entrando em todos os segmentos, inclusive na construção civil”, disse a instrutora de construção em alvenaria, Sônia Rocha.