Compartilhe este texto

A precariedade da BR-307


Por Orsine Jr.

23/05/2022 20h13 — em
Turismo, eu acredito!


Foto: Divulgação

Grande parte das nossas estradas tem sido um grande empecilho para o avanço no turismo e a prova disso é a BR-307. A rodovia — que se inicia em Marechal Thaumaturgo, no Acre, e segue até o distrito de Cucuí, na fronteira com a Venezuela, em São Gabriel da Cachoeira — se resume ao abandono e precariedade.  

No último final de semana, estive em São Gabriel da Cachoeira e vi, de perto, a situação da rodovia federal, principalmente, no trajeto entre o porto e o aeroporto da cidade, pontos de embarque e desembarque de turistas. São 12 quilômetros com incontáveis buracos, muita lama, pavimentação precária, falta de acostamento e ausência de sinalização. Trafegar na BR-307 é complicado até para quem pratica rally. 

A infraestrura de um município é fator fundamental para o avanço do turismo, atividade que tem potencial imensurável para a geração de emprego, renda e progresso de São Gabriel da Cachoeira. Mas de que adianta tantas belezas naturais, potencial para o turismo de base comunitária, turismo de aventura e ecoturismo se o acesso à cidade e seus pontos turísticos é precário? 

São Gabriel da Cachoeira precisa de uma estrada de qualidade, que favoreça a população local, o turismo e a própria cidade. Esse é um alerta para o Governo Federal, responsável pela recuperação e manutenção da BR-307, pois o fácil acesso é fundamental para o progresso e indispensável para o fortalecimento do turismo. 

Pela manutenção e recuperação da BR-307, Turismo eu Acredito!

Foto: Divulgação


Os artigos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados nesta coluna não refletem necessariamente o pensamento do Portal do Holanda, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

ASSUNTOS: Turismo, eu acredito!

+ Turismo, eu acredito!