Compartilhe este texto

Dono do tríplex do Guarujá mobilia apartamento para sorteio e diz que ele não é mico

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

17/01/2022 12h04 — em Política


SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O dono do tríplex de Guarujá que já foi atribuído ao ex-presidente Lula (PT) está mobiliando o imóvel para entregá-lo pronto para uso a quem ganhar o sorteio da unidade, que será em março pela internet.

O tríplex já tinha camas nos quartos, armários de cozinha, geladeira e micro-ondas. O empresário Fernando Gontijo, que arrematou o imóvel em leilão em 2018, diz que está agora colocando sofás, cadeiras e mesas nos cômodos.

O apartamento está vazio há mais de três anos —e Gontijo gasta cerca de R$ 4.500 por mês com ele entre condomínio, IPTU e manutenção. O empresário nega, no entanto, que tenha adquirido "um mico".

"É um bem diferenciado, que faz parte da história do Brasil. No futuro, nos livros, sempre teremos o tríplex", afirma ele.

Por isso, em vez de tentar uma venda simples, ele fará um sorteio, afirma. A prova de que o imóvel é especial, diz, é o fato de mais de 600 mil pessoas terem acessado o site em que ocorrerá o sorteio na semana em que ele foi anunciado pela coluna.

Gontijo diz que encomendou pareceres jurídicos para dar segurança a quem participar do sorteio: como todos os atos do ex-juiz Sergio Moro foram anulados nos processos do tríplex, a determinação dele para que o imóvel fosse a leilão, em 2018, também poderia ficar comprometida.

"O tríplex foi comprado por mim por R$ 2,2 milhões. O dinheiro está depositado até hoje em juízo. O antigo dono [ele estava em nome da empreiteira OAS] pode pedir o levantamento e a devolução do dinheiro", afirma Gontijo. "Mas o leilão não perdeu a validade", finaliza.

Em sentença depois anulada no STF (Supremo Tribunal Federal), o ex-juiz Moro —agora presidenciável pelo Podemos— concordou com a tese dos procuradores da Lava Jato de que o apartamento estava reservado para Lula, que seria seu verdadeiro dono.

O ex-presidente, que é pré-candidato ao Planalto em outubro, sempre desmentiu a acusação de forma enfática.


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Política

+ Política