'Rei do Skunk' fingia ser dono de rede de supermercado no Amazonas

Por Portal do Holanda

28/09/2020 12h09 — em Policial

Drogas e dinheiro apreendido - Foto: Jander Robsom/Portal do Holanda

Manaus/AM - Gilson Rodrigues, o "RDK", foi preso com cerca de R$ 3 milhões e pelo menos 6 toneladas de drogas no município de Manaquiri, no Amazonas.  O homem se passava por dono de uma grande rede de supermercados e é suspeito de criar várias empresas de fachada em outros municípios para lavar o dinheiro proveniente do tráfico de drogas.

Além dele, outras 9 pessoas também foram detidas por envolvimento no esquema. Eles atuavam como “aviões”, contadores, transportadores, seguranças e etc.

O acusado chegou a cidade de Manaquiri há cerca de 1 ano e meio e lá estabeleceu seu império de drogas.

A polícia explicou que Gilson trazia as drogas da Colômbia e as distribuía em várias cidades como Manaus, Japurá e Manaquiri e Barreirinha. Ele morava em Maniquiri e lá mantinha a base de toda a organização criminosa.

O narcotraficante também conhecido como “O Rei do Sunk”, foi capturado dentro de uma residência na área rural. Quando a polícia chegou ao local, a casa estava cheia de “seguranças” que ainda tentaram se armar com um arsenal de guerra assim que perceberam a presença dos oficiais, mas não tiveram sucesso.

RDK não tinha passagem pela polícia e foi capturado após três meses de investigação. A mega operação começou  depois que a polícia descobriu um caminhão carregado de drogas no pátio de uma empresa na avenida Torquato Tapajós, em Manaus. Interceptações telefônicas levaram a Gilson e ao desmantelamento de toda a sua rede de operação.

Mais de 20 veículos de luxo entre carros e barcos foram apreendidos e 6 toneladas de drogas foram apreendidas. Grande parte delas estava escondida em cascos de embarcações. Apesar de comandar um sistema articulado de tráfico, ele afirma que não pertence a nenhuma facção e diz que atuava de forma independente.

A polícia afirma que a Operação Mamon foi a maior ação contra uma rede de tráfico já executada no estado.