Siga o Portal do Holanda

Manaus

Merenda mais nutritiva chega à mesa dos alunos no Amazonas

Publicado

em

Por

Manaus  -  “A comida daqui é muito gostosa porque parece a da minha casa”. O relato do estudante Tiago Sales, de 9 anos, que cursa o 5º ano na Escola Estadual Barão do Rio Branco, comprova que merenda saudável com gosto caseiro, apesar de ser uma receita simples, tem conquistado espaço entre os alunos da rede estadual de ensino, que tem no cardápio a presença cada vez maior de produtos regionais.

Neste ano, o Programa de Regionalização da Merenda Escolar (Preme), do Governo do Amazonas, incrementou o cardápio da merenda que chega hoje a 700 escolas e alcança 616 mil estudantes, com a inclusão de dois novos itens: o coloral e o achocolatado de cupuaçu.

O Preme é operacionalizado pela Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS), em parceria com a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), e proporciona aos estudantes, por meio de 48 itens, hábitos alimentares tradicionais muitas vezes esquecidos.

Raquel Sales, mãe do pequeno Tiago, faz questão que o filho tenha uma dieta saudável a base de frutas, verduras e alimentos não industrializados. “Como ele é criança ele precisa desse tipo de comida que supre as necessidades dele. Esta é uma iniciativa excelente que ainda dá garantias aos produtores do interior”, afirma Raquel.

Com os novos itens, a merenda ganha o tempero colorido do coloral e mais valor nutritivo, com o achocolato em pó feito a partir da semente do cupuaçu. Sem adição de cacau e cafeína, tem sabor mais acentuado do que o achocolatado comum, porém os benefícios vão além do sabor e do valor nutritivo. “Era um produto que antes gerava resíduos ao meio ambiente e agora está com valor agregado. Além disso, estamos criando emprego e renda a mais de 11 mil produtores rurais, conforme a orientação do governador Omar Aziz de gerar oportunidade a todos”, destaca o diretor-presidente da ADS, Valdelino Cavalcante.

Qualidade na Educação – Boca cheia e sorrisos justificam a melhoria no ensino. Segundo a diretora da escola Barão do Rio Branco, no centro de Manaus, o desempenho dos alunos só melhorou com a oferta da merenda regional. Mariluce Rocha da Silva diz que esse bom rendimento vem sendo sentido durante as avaliações feitas nas reuniões dos professores. “O principal reflexo é na aprendizagem. Afinal, criança bem alimentada produz mais na sala de aula”, ressalta a gestora.

Com bons resultados, a Seduc decidiu expandir o Preme este ano com investimentos na ordem de R$ 23,3 milhões. A partir da medida, todos os 62 municípios amazonenses serão contemplados com alimentos genuinamente amazônicos. “Por determinação do governador Omar Aziz, as escolas públicas estaduais de todos os municípios do Amazonas passarão a oferecer em sua merenda escolar, dezenas de itens alimentícios – incluindo perecíveis – produzidos por produtores locais e com a chancela da ADS”, explica o titular da Seduc.

O volume de itens adquiridos passará de 4,45 para 5,44 mil toneladas anualmente.

Pesquisa Científica – A Ciência, ainda tida por muitos como algo restrito aos laboratórios, vem sendo popularizada pelo Governo do Estado, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam). Prova disto é o achocolatado de cupuaçu, o mais novo item do cardápio da merenda escolar distribuída aos estudantes da rede estadual de ensino. O produto comprova como os benefícios de uma pesquisa científica pode ser sentido no dia a dia.

O Cupumax, nome dado ao achocolatado em pó, foi idealizado através do Programa Amazonas de Apoio à Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação em Micro e Pequenas Empresas na Modalidade Subvenção Econômica – Pappe Subvenção, financiado pela Fapeam e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Foram três anos de estudo, com apoio técnico do Governo, até a formulação de uma técnica baseada na extração do chocolate do cacau. “As pesquisas que já existiam esbarravam na questão da produção em escala. Como se trata de um fruto diferente do cacau, tivemos que desenvolver uma máquina específica para a extração do chocolate em pó do cupu”, detalha Francisca Fátima Sales, proprietária da Cupuama, empresa responsável pelo produto.

Especializada na produção e venda de ingredientes e matérias-primas para a indústria alimentícia e cosmética, a Cupuama tem no cupuaçu seu maior patrimônio. Instalada no Careiro Castanho (cidade a 88 quilômetros de Manaus) a fábrica gera, atualmente, 10 empregos diretos. Além disso, cerca de 300 produtores de municípios como Careiro, Itacoatiara, Autazes, Manaquiri e Manacapuru, fornecem o fruto para a empresa. Com a inclusão do achocolatado no cardápio da merenda escolar a empresária espera contratar novos funcionários. “Este ano pretendemos chegar a 12 ou 13 colaboradores”, destaca.

Do cupuaçu retira-se a polpa, usada na produção de néctar, sucos e doces. Da semente produz-se gordura usada na indústria de cosméticos, outra parte é direcionada à fabricação de ração animal e outra, considerada a mais nobre da semente, gera o achocolatado em pó.

A estimativa é fornecer 10 toneladas do achocolatado feito a partir do cupuaçu para o Programa de Regionalização da Merenda Escolar. “Estou entusiasmada. Vemos que o Governo realmente dá apoio aos produtos da região”, comemora Francisca Fátima.

 

NULL

+ Manaus

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

Copyright © 2006-2020 Portal do Holanda.