Morte de deputado interrompe sessão para analisar gabinete de presidente do Peru

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

25/10/2021 19h34 — em Mundo

BUENOS AIRES, ARGENTINA (FOLHAPRESS) - Uma sessão do Legislativo peruano para dar ou não o voto de confiança ao gabinete ministerial do presidente Pedro Castillo foi interrompida na tarde desta segunda-feira (25) por causa da morte de um deputado. Fernando Herrera Mamani, 55, era do partido Perú Libre, o mesmo do chefe do Executivo.

Os parlamentares estavam discursando sobre as propostas da primeira-ministra Mirtha Vázquez, apresentadas horas antes, e se preparavam para emitir seus votos sobre a equipe ministerial quando um grupo de deputados que recebeu a notícia se mostrou emocionado. Houve choros e ao menos um desmaio.

Mamani, de Tacla, não estava no Congresso. A informação inicial foi a de que ele sofreu uma parada cardiorrespiratória.

A presidente do Congresso, Maria del Carmen Alva Prieto, então, anunciou a interrupção da sessão. Ela organizou um minuto de silêncio e afirmou que a sessão para referendar o gabinete seria retomada nesta terça (26), às 9h (horário local).

O racha no partido governista do Peru ficou claro logo na entrada do gabinete de ministros no Congresso na manhã desta segunda-feira (25). O grupo foi acompanhado pessoalmente por Castillo, em claro sinal de apoio do mandatário para confrontar documento publicado há alguns dias pelo presidente do Perú Libre, Vladimir Cerrón, que dizia que sua bancada não daria o voto de confiança ao novo ministério.

De 121 congressistas, eram necessários 66 votos para referendar a equipe.

O primeiro gabinete formado por Castillo após assumir a Presidência, em julho, recebeu a aprovação em 27 de agosto, mas foi se debilitando. Muitos nomes eram radicais ligados a Cerrón e acabaram questionados pelo Congresso --principalmente o primeiro-ministro, Guido Bellido Ugarte, que responde a processos de corrupção e por apologia do terrorismo.

Sob a pressão de que o Legislativo promoveria um impeachment de Bellido e de outros ministros, Castillo pediu a renúncia de alguns deles no último dia 6. No lugar, chamou nomes de políticos de esquerda mais experientes e não vinculados ao Perú Libre, em um esforço por governabilidade.

O melhor exemplo foi a escolha de Mirtha Vázquez, reconhecida advogada de direitos humanos, com experiência no Parlamento, para ser a primeira-ministra. Vázquez é da Frente Ampla, grupo de esquerda moderada que discorda das posições mais dogmáticas do Perú Libre.

Em sua apresentação de duas horas ao Congresso nesta segunda, Vázquez afirmou que as prioridades do governo serão a luta contra a pandemia, a reforma agrária, o estabelecimento de novos planos sociais para ajudar os mais vulneráveis e a "reativação econômica com justiça social, gradual, voluntária e descentralizada".

Ela destacou que o governo vai priorizar um aumento das aposentadorias por meio de subvenção direta do Estado a maiores de 65 anos e reforçou que, na reforma agrária, não haverá expropriação de terras. "Mas sim dar maior valor agregado à produção rural por meio de processos de transformação produtiva", afirmou.

Vázquez também pediu que o Parlamento evitasse que o clima de tensão política trouxesse mais insegurança à população na retomada das atividades econômicas.

Antes da sessão, a primeira-ministra se reuniu com os líderes de bancada e empresários, que se mostraram simpáticos à ideia de colaborar com projetos do governo.

Na nova configuração ministerial, ainda há nomes que podem causar atritos com o Parlamento. É o caso do ministro do Interior, Luis Barranzuela, advogado de Cerrón em seu processo por corrupção; e da titular de Desenvolvimento e Inclusão Social, Dina Boluarte, que está sendo investigada por lavagem de dinheiro e financiamento ilegal da campanha do Perú Libre.


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

+ Mundo