Compartilhe este texto

Manaus tem médio risco para doenças causadas pelo Aedes; veja bairros mais afetados

Por Portal Do Holanda

05/12/2023 14h26 — em
Manaus


Foto: Reprodução

Manaus/AM - O 2º Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), do ano de 2023, realizado pela Prefeitura de Manaus, no período de 6 a 22 de novembro, apontou um índice de infestação predial de 1,5%, mantendo o município em médio risco para as doenças transmitidas pelo mosquito.

Os dados foram coletados nos 63 bairros de Manaus, envolvendo 295 profissionais da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), que realizaram visitas domiciliares buscando identificar e coletar larvas do mosquito, bem como eliminar e tratar os potenciais criadouros. Com a análise dos dados, é possível identificar o nível de infestação no município, que pode ser baixo (menor que 1,0), médio (compreende valores entre 1,0 e 3,9) ou alto (4,0 ou maior).

Já os depósitos de armazenamento de água para consumo em nível de solo, como tambores, tonéis ou camburões, barris e tinas, representaram 29,9% dos depósitos identificados no levantamento. Os recipientes do tipo lixo, garrafas, latas e ferro velho são 25,4% dos depósitos encontrados.

O Mapa de Vulnerabilidade aponta que Manaus tem nove bairros em Alta Vulnerabilidade: Redenção, Alvorada, Lírio do Vale e Compensa (Disa Oeste); Cidade Nova e Novo Israel (Disa Norte); Jorge Teixeira (Disa Leste); e Morro da Liberdade e Aleixo (Disa Sul).

Os bairros de baixa vulnerabilidade são: Santo Antônio, Dom Pedro, Vila da Prata e São Raimundo (zona Oeste); Parque 10 de Novembro, Nossa Senhora de Aparecida, Centro, Chapada, Adrianópolis e São Geraldo (zona Sul); Colônia Antônio Aleixo e Mauazinho (zona Leste); Flores, Vila Buriti, Betânia, Cachoeirinha, Educandos, Crespo; Lago Azul (zona Norte).

Os bairros de média vulnerabilidade são: Tarumã-Açu, Tarumã, Planalto, bairro da Paz, Nova Esperança, Santo Agostinho, São Jorge, Ponta Negra e Glória (zona Oeste); Santa Etelvina, Colônia Terra Nova, Monte das Oliveiras, Cidade de Deus, Novo Aleixo, Nova Cidade e Colônia Santo Antônio (zona Norte); Armando Mendes, Distrito Industrial 2, Zumbi, Puraquequara, São José, Coroado, Tancredo Neves e Gilberto Mestrinho (zona Leste); e Distrito Industrial 1, Presidente Vargas, Petrópolis, Raiz, Nossa Senhora das Graças, São Francisco, Praça 14, Santa Luzia, Colônia Oliveira Machado, São Lázaro e Japiim (zona Sul).

Casos

Dados do Sinan On-line, do Ministério da Saúde, mostram que, de janeiro a 24 de novembro deste ano, Manaus registrou 2.490 casos notificados de dengue, o que representa um aumento de 25%, em relação ao mesmo período do ano passado. Já em relação aos casos confirmados, Manaus registrou, este ano, 549 casos, em uma redução de 50,1%, em relação ao mesmo período de 2022.

Além de casos de dengue, Manaus registrou este ano 58 casos notificados de zika, em uma redução de 49,6%, em comparação ao ano passado. Foram confirmados 23 casos de zika, com baixa de 60,3% frente aos casos confirmados em 2022. O município registrou, ainda, 143 casos notificados de chikungunya, com aumento de 6,7% em relação ao ano passado. Em relação aos casos confirmados, o município apresentou 38 casos, diminuindo em 11,6%.


Siga-nos no
O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Manaus

+ Manaus