Compartilhe este texto

Bolsonaro reclama de quem recebe teto de salário e quer fazer greve

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

19/05/2022 20h35 — em
Economia



SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Em transmissão ao vivo nas redes sociais nesta quinta (19), o presidente Jair Bolsonaro (PL) respondeu sobre a reivindicação de servidores públicos por reajuste salarial e disse que também deseja ganhar mais, "se não paro o Brasil" —em fala irônica sobre ameaças de novas greves.

Segundo o chefe do Executivo, há demandas de mexer no teto salarial de "policial rodoviário federal para chegar no mesmo nível do agente da polícia federal. Não é o delegado, é o agente, uma pequena subida no teto deles, de quase R$ 2,5 mil".

Para Bolsonaro, "daí vem o problema", que é reajustar outras categorias. "Se for dar 10% para policial rodoviário federal e 30% para o pessoal do Depen (Departamento Penitenciário Nacional)... Eu também quero 30%, se não paro o Brasil. Esse impasse que está acontecendo, não tem recurso", afirmou.

"Vou pedir para o nosso pessoal se encontrar com os presidentes de sindicato dos servidores e chegar em um acordo, é 5% para todo mundo, não atende a policial rodoviário federal, para evitar que entre em greve, triste falar isso ai, gente que ganha o que já está no teto e quer ter mais reajuste", completou.

O presidente destacou que "não está batido o martelo", mas falou que o governo federal cogita conceder reajuste de 5% a servidores públicos, mas para isso seria necessário fazer cortes no Orçamento.

"Isso equivale a mais cortes no Ministério, de R$ 7 bilhões. Tem várias propostas para atender ali, por exemplo, não vou dizer que vai acontecer", afirmou.

Bolsonaro afirmou ainda que já se faz necessário o corte de 10 bilhões de reais no Executivo para o pagamento de novas despesas.



O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Economia

+ Economia