Siga o Portal do Holanda

Ciência

Cientistas podem ter encontrado o gene da magreza

Publicado

em

Foto: Reprodução / Pixabay Foto: Reprodução / Pixabay
Foto: Reprodução / Pixabay

Batalha do impeachment de Wilson Lima tem isca e tem peixe


Uma pesquisa preliminar publicada na última quinta-feira (21), pela revista Celll, mostra que cientistas podem ter descoberto o 'gene da magreza', que ajuda indivíduos supermagros a permanecerem assim.

A descoberta pode abrir uma nova fronteira em tratamentos para combater a obesidade.  O gene ALK produz uma proteína chamada linfoma quinase anaplásico, envolvida no crescimento celular. Mais de 47 mil pessoas saudáveis na Estônia entre 20 e 44 anos, foram estudadas para ser encontrada a variante.

Uma pesquisa realizada com ratos fez com que os animais observados apresentassem uma maior taxa de queima de gordura. O que pode ter sido estimulado por um aumento da concentração do hormônio do estresse noradrenalina no tecido adiposo. 

Os inibidores da ALK, que suprimem a função das proteínas ALK, são usados como medicamentos. Os resultados da pesquisa levantam agora a questão para saber se esses medicamentos também podem ser usados para tratar a obesidade.




Já leu estas ?

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

Copyright © 2006-2019 Portal do Holanda.