Mais respeito com Amazonino

Por Raimundo Holanda

13/10/2020 20h59 — em Bastidores da Política

Há culturas que valorizam os mais velhos, porque eles são mais sábios. Caminharam mais, aprenderam mais, amaram mais. E o respeito aos idosos é tanto que eles formam conselhos e dizem que caminhos seguir. Mas é preciso cultura para olhar os mais velhos com respeito. 

Ninguém pode dizer que chegará a 70-80 anos. Essa caminhada depende de uma coisa imponderável: o destino. Chegar aos 80 anos, como Amazonino chegou, é um feito, uma conquista.

Portanto, a pecha de "velho gagá" não pega, a tentativa de desconstrução de sua imagem é um atentado a história que ele construiu. E atinge a todos os amazonenses nessa faixa etária ou que caminham nessa direção. 

O vídeo montagem no qual tentam desconstruir a imagem de Amazonino Mendes é um exemplo de atraso cultural, da incapacidade de reconhecer os méritos que ele tem, seja como politico, seja como intelectual. Sim, porque Amazonino  é estudioso, lúcido, lê muito, conhece muito. Não é adversário de ninguém.  É  apenas um homem  que oferece à cidade  sua experiência e sua visão do mundo.

Não se compara homens pela idade. Compara-se pela história de cada um.

Muitos, como Amazonino, tem qualidades. Mas ocupar a cadeira na qual Arthur  Virgilio senta hoje  é preciso ser mais do mais, porque Arthur é outra lenda, um homem inteligente, lúcido, sério, que pensa a cidade e o país. 

O que Arthur e Amazonino tem em comum, apesar de estarem em lados opostos nesta  eleição, é que eles não deixaram a mente nem a alma envelhecer.