Bastidores da Política - Eleições 2022: Sucessão no Amazonas com partidos em compasso de espera


Eleições 2022: Sucessão no Amazonas com partidos em compasso de espera

Por RAIMUNDO DE HOLANDA

14/05/2021 20h03 — em Bastidores da Política

  • O quadro que vem sendo desenhado para 2022, sem a possível participação de Bolsonaro, ou com ele muito desgastado com o eleitorado, e o eventual afastamento do governador Wilson Lima pelo STJ, onde responde à denúncia de liderar uma organização criminosa no Estado, mexe com os nervos dos políticos locais…

Desacelerou o movimento dos partidos políticos em torno da eleição de 2022 no Amazonas. Com os olhos voltados para a CPI da Pandemia e os estragos que vem provocando na imagem do presidente Bolsonaro, alguns pré-candidatos ao governo do Estado avaliam cenários nos quais a disputa presidencial possivelmente ocorrerá  sem a participação do presidente,  e de alguns aliados importantes, como o  governador do Amazonas, Wilson Lima.

O governador tem futuro incerto depois de denunciado pela Procuradoria Geral da República ao STJ.

Antes de tudo, a eleição de 2022 será uma disputa nacional, com a escolha do Presidente, de um senador, de oito deputados federais e dos 24 deputados estaduais.   

O quadro desenhado, sem a possível participação de Bolsonaro, ou com ele muito desgastado com o eleitorado, e o eventual afastamento de Wilson Lima nos próximos meses, mexe com os nervos dos políticos locais. Por razões diversas.

1 - O eventual afastamento do governador Wilson Lima pelo STJ colocará em xeque o desempenho dos atuais deputados estaduais, que rejeitaram um pedido de impeachment contra o governador, pelos crimes que a Procuradoria Geral da República apontou na denúncia ao tribunal: desvio de recursos da saúde e de comandar uma organização criminosa.

2 -Que satisfação os atuais parlamentares darão aos eleitores, diante de uma possível condenação de Wilson Lima pelo Superior Tribunal de Justiça?

Quanto à disputa pelo governo, dois cenários estão aí, sob avaliação dos principais caciques dos partidos políticos.

1 - Caminhar ao lado de Bolsonaro, com o presidente sem a estatura de 2018; com Lula reabilitado, ou  Ciro Gomes com aquele “gênio” sem controle que coloca tudo a perder à menor irritação.

2  - O outro cenário, que  pode se  fundir ao primeiro e criar um grande obstáculo aos eventuais pré-candidatos ao governo do Amazonas, é a possibilidade do vice-governador Carlos Almeida assumir o governo, no caso de afastamento de Wilson Lima. Se isso ocorrer, Carlos fatalmente será candidato à reeleição. O que mudaria tudo e um novo quadro teria que ser desenhado…

 

Raimundo de Holanda é jornalista de Manaus. Passou pelo "O Jornal", "Jornal do Commercio", "A Notícia", "O Estado do Amazonas" e outros veículos de comunicação do Amazonas. Foi correspondente substituto do "Jornal do Brasil" em meados dos anos 80. Atualmente escreve a coluna Bastidores no Portal que leva seu nome.