Locais raros surgem na “terra escura” na Amazônia após fenômenos naturais

Por Portal do Holanda

05/01/2021 11h29 — em Amazônia

Foto: Pixabay

Incêndios naturais e enchentes de rios, e não a engenhosidade das populações indígenas, criaram locais raros adequados para a agricultura na chamada “terra preta de índio” ou “terras escuras” na região Amazônia.

Uma pesquisa publicada ontem (4), na Nature Communications, mostra que os processos naturais é que são os responsáveis por levar fósforo, cálcio e carvão que deixaram o solo fértil na floresta amazônica.

Pesquisadores teorizavam que a presença de artefatos pré-colombianos e sinais de domesticação de plantas descobertas na região significava que práticas agrícolas, incluindo queimadas controladas da biomassa da floresta, pelos povos indígenas aumentaram os nutrientes do solo.

Mas, a datação por rõdiocarbono do solo em um bacia extensivamente estudada de 210 hectares perto da confluência dos rios Solimões e Negro, no Noroeste do Brasil, conta uma história diferente.

Esses níveis se relacionam espacialmente com 16 oligoelementos que indicam que a fertilidade não se formou no local, segundo o estudo. Combinado com outros elementos no solo e proporções isotéricas de neodímio e estrôncio, os pesquisadores concluíram que a inundação do rio antes do assentamento provavelmente entregou nutrientes e carvão.
 


+ Amazônia