Técnicos do Mapa visitam manejo de jacaré e pirarucu no Amazonas

Por Portal do Holanda

20/10/2020 13h44 — em Amazonas

Técnicos do Mapa e Adaf visitaram local de manejo em Tefé - Foto: Divulgação/Adaf

Manaus/AM - Para alavancar o abate, o beneficiamento e comercialização das cadeias produtivas do jacaré e pirarucu manejados dentro dos padrões da inspeção de produtos de origem animal no Amazonas, a Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado (Adaf) participou, no município de Tefé, na última semana, da comitiva do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). 

Visando identificar como a produção das duas espécies tem sido executada no Amazonas, especificamente na Comunidade de São Raimundo do Jarauá, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Mamirauá, representantes da Adaf e dos órgãos federais visitaram a planta de abate remoto de jacaré da empresa Plantar, que tem o Serviço de Inspeção Estadual (SIE) da Adaf, e observaram a pesca manejada do jacaré e o manejo comunitário do pirarucu realizado pelas populações ribeirinhas da região.

Participaram da comitiva o diretor-presidente da Adaf, Alexandre Araújo; o coordenador de Pescado da agência, Eudimar Corrêa; o secretário nacional de Pesca e Aquicultura, Jorge Seif Júnior; o superintendente federal da Agricultura no Amazonas (SFA/AM), Guilherme Pessoa; a diretora nacional do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa), Ana Lúcia; e servidores da Unidade Local de Sanidade Animal e Vegetal (Ulsav) da Adaf no município.
 

Primeiro abate de jacaré

Em dezembro do ano passado, a unidade de beneficiamento de jacaré recebeu o SIE da Adaf, atendendo aos parâmetros da legislação estadual de inspeção de produtos de origem animal. Em janeiro deste ano, ocorreu o primeiro abate das espécies jacaré-açu (Melanosuchus niger) e jacaretinga (Caiman crocodilos).

"A Adaf tem papel fundamental no processo de regularização e certificação da indústria, pois garante ao consumidor um produto de origem e qualidade higiênico sanitária adequados para o consumo", destaca Alexandre Araújo.

No âmbito da cadeia produtiva do pirarucu, a Adaf orientou os interessados quanto à regularização de estruturas existentes nas comunidades.