Semc sorteia lojas da Galeria Espírito Santo entre empreendedores

Por

12/07/2014 10h21 — em Amazonas

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal do Centro (Semc), realizou nesta sexta-feira, 11, no auditório do Colégio Dom Bosco, Centro, o sorteio das lojas da Galeria Espírito Santo que vão receber 323 empreendedores. Foram realizados dois sorteios: pela manhã, do primeiro pavimento – destinado aos empreendedores que estão trabalhando no Camelódromo da Epaminondas e, à tarde, do segundo pavimento – destinado aos empreendedores das ruas Henrique Martins, José Clemente, 24 de Maio, Saldanha Marinho, Joaquim Sarmento, Lobo D’Almada e Praça Dom Bosco (na rua da Instalação).  Todos aderiram ao projeto Viva Centro Galerias Populares, lançado em fevereiro passado pelo prefeito, como parte do processo de requalificação do Centro de Manaus.

A Semc também sorteou nove lanches, seis quiosques e dez bancas menores, chamadas assim em função de serem menores que o tamanho original (2,00m x 1,50m), devido a ajustes na própria estrutura da galeria.

Galeria Espírito Santo

Ao todo, a Galeria Espírito Santo vai abrigar 308 lojas, nove lanches e seis quiosques. As obras iniciaram em março e a previsão de entrega do prédio é dia 19 de julho. A galeria vai contar também com PAC, loteria, caixas eletrônicos, praça de alimentação e escadas rolantes.

Os empreendedores vão instalar mobiliários novos nas lojas, mas, todos padronizados.  A empresa responsável pela instalação do mobiliário montou duas lojas e deu de presente para serem sorteadas. Os sortudos foram o senhor Sebastião Bezerra de Paula, que foi ganhou a loja 46, no térreo e a senhora Rejane Lúcia, que ganhou toda mobiliada, a loja 218, no pavimento superior.

“É uma grande economia, estou muito feliz. Agradeço a Deus por ter me dado esse presente e ao prefeito Artur Neto por ter investido nesse projeto. É um sonho que estamos realizando”, declarou Rejane.

Segundo o secretário da Semc, Glauco Francesco, o próximo passo é a definição do regulamento de gestão da galeria. “Vamos definir não só o horário de funcionamento, mas todos os procedimentos a serem adotados pelos lojistas, que agora saem da informalidade e passam a ser empreendedores, para escreverem uma nova página na história do Centro de Manaus”, disse o secretário.