Integração da saúde, educação e esporte é um dos legados da Copa

Por

26/06/2014 17h08 — em Amazonas

Profissionais de saúde, voluntários da Copa do Mundo, professores e 400 alunos de escolas municipais participaram nesta quinta-feira, da cerimônia de encerramento do Programa FIFA 11 pela Saúde, na Arena da Amazônia. O evento teve a presença do idealizador do programa, o médico suíço Jiri Dvorak, do prefeito Artur Virgílio Neto, do secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto, e do secretário municipal de Educação, Humberto Michiles, além dos estudantes e professores das 11 escolas municipais selecionadas para participação no programa.

O FIFA 11 pela Saúde é um programa idealizado pela Federação Internacional de Futebol para motivar a atividade física e promover hábitos saudáveis entre crianças e adolescentes, prevenindo ou minimizando fatores de risco de doenças. Ele é destinado a alunos de escolas públicas da educação básica, na faixa-etária de 12 e 13 anos, sendo meninos e meninas.

O prefeito Artur Virgílio Neto aproveitou o encerramento do evento para destacar a maior integração das ações de saúde, educação e esporte como um dos legados da Copa do Mundo de 2014.

“O FIFA 11 pela Saúde terá continuidade em Manaus pelo fato de não haver uma trilogia mais benéfica para o jovem do que oferecer educação para que ele possa crescer na vida, saúde para que possa ter um aprendizado adequado e esporte para que ele aprenda a importância de cuidar da própria saúde. Quanto mais a pessoa se educa, mais tem a capacidade de defender a própria saúde”, lembrou o prefeito.

Com o sucesso da participação de Manaus na Copa, o prefeito só lamentou o fato de a cidade não receber mais jogos, pois segundo ele, a capital amazonense merecia pelo seu desempenho. “É uma pena que não tenham previstos mais jogos da Copa nas outras fases. O índice de satisfação dos turistas foi muito grande e Manaus está se intercionalizando. Percebemos a capacidade da prefeitura e do Estado de trabalharem juntos, além da capacidade do povo de receber os turistas. O mundo hoje está namorando Manaus” disse Arthur.

Para o prefeito, é necessário continuar o trabalho com os voluntários, que, segundo ele, deram show com o trabalho durante todo o período dos jogos em Manaus. “Os voluntários deram um exemplo de grandeza e não quero pensar neles somente no futebol. Temos que levar essa cultura do voluntariado para outras situações”, destacou.

Para o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto, a cerimônia de encerramento do FIFA 11 pela Saúde é também um momento de comemoração pelo sucesso das ações executadas na cidade durante a Copa do Mundo.

“Foram meses de trabalho e o resultado mais positivo foi verificar o sucesso das ações integradas entre os serviços de saúde do Município e do Governo do Estado. Essa união de esforços mostrou como podemos fazer mais e melhor em prol da população de Manaus”, afirmou Homero de Miranda Leão Neto.

Metodologia

No Brasil, o FIFA 11 pela Saúde é resultado de uma parceria da FIFA com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e com os Ministérios do Esporte, da Educação e da Saúde. O programa foi implantado em todas as 12 cidades-sedes da Copa do Mundo de 2014.

Em Manaus, o FIFA 11 pela Saúde foi implantando nas escolas municipais: Profª. Maria Lira Pereira, Tereza Rosa Aguiar Abtibol, Ana Mota Braga, Vicente de Paula, Senador Fábio P. L. Bittencourt, Joaquim Gonzaga Pinheiro, Nilton Lins, Jorge Rezende Sobrinho, Madre Tereza de Calcutá, Profº Álvaro César de Carvalho e Maria Leide Amorim.

A execução foi realizada por educadores físicos que prestam serviços nas escolas participantes do programa e que foram capacitados durante curso realizado no período de 10 a 14 de fevereiro deste ano, em Brasília/DF.

Durante a cerimônia, o idealizador do programa, o médico suíço Jiri Dvorak, lembrou que a metodologia utilizada leva em consideração o fato de que “quando o futebol fala, todos ouvem”. “A partir do programa, sabemos que os estudantes têm mais um instrumento para a mudança de vida e para que vivam com mais saúde. E esse trabalho é apenas um começo para as mudanças”, declarou o médico.