Gastos com vítimas de acidentes de trânsito custam R$ 2 milhões ao Amazonas

Por Portal do Holanda

28/10/2020 11h55 — em Amazonas

Foto: Pedro Braga Jr. / Portal do Holanda

Manaus/AM - De janeiro a setembro deste ano foram registrados 10.274 acidentes de trânsito no Estado do Amazonas, sendo que 3.418 deles ocasionaram mais de 8,8 mil pessoas feridas. Essas vítimas foram direcionadas aos três maiores prontos-socorros do Estado: João Lúcio, 28 de Agosto e Platão Araújo. Além de responsáveis por boa parte das internações hospitalares e pela maioria dos atendimentos de urgência e emergência, esses acidentes geraram mais de R$ 2 milhões em custos hospitalares.

Os dados são do Departamento de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), que foi repassado pelo diretor técnico do órgão, Amurinê Tomaz, em coletiva na manhã desta quarta-feira (28). “A maioria das vítimas lesionadas advém de colisões envolvendo motocicletas, principalmente a partir do mês de maio, quando houve maior procura pelos serviços de delivery. Os acidentes envolvendo duas rodas figuram ainda entre os maiores causadores de mortes no trânsito neste ano no estado. Das 218 pessoas que perderam a vida em 2020 no Amazonas, 102 estavam em uma motocicleta”, disse.

O diretor ressaltou, que em Manaus, 176 mil pessoas são habilitadas para conduzir motocicletas, mas apenas 1% possui curso de motofretista, necessários para se exercer a atividade de entrega por delivery.

Tomaz revelou, que este ano, o número de acidentes foram reduzidos em comparação com o ano passado. De janeiro a setembro, foram registrados 10.274 acidente nas vias do estado, contra 11.617 em 2019, uma redução de 11, 5%. “Os dados de acidentes de trânsito são formados pela somatória do número de acidentes com vítimas lesionadas, com danos materiais e com vítimas fatais. Desse tripé, o único dado que teve um pequeno aumento foi o de vítimas fatais, os demais tiveram redução de 7,8% (danos materiais) e 18,7% (vítimas lesionadas)”. disse.

Conforme o diretor técnico do Detran, os acidentes com danos somente materiais tiveram a maior quantidade de registros neste ano. Dos mais de 10 mil sinistros, 6,6 mil ocasionaram apenas prejuízos financeiros aos envolvidos. Já os acidente com vítimas lesionadas representam 33%  do total de acidentes registrados até setembro, no estado. Foram 3.418 sinistros este ano contra 4.209 no mesmo período do ano passado.

“Mesmo com a redução geral no número de acidente, as mortes no trânsito aumentaram 1% este ano. Infelizmente, 218 pessoas perderam a vida nas ruas e rodovias do estado, contra 215 no ano passado. E a motocicleta ainda é um dos principais causadores de mortes no trânsito. Até setembro do ano passado foram 81 óbitos sobre duas rodas contra 102, este ano, um aumento de 25%”, destacou.

Esse aumento, de acordo com Tomaz, começou a se acentuar no mês de maio, quando a procura por serviços delivery aumentou em Manaus. Contudo, a maioria das pessoas que passa a exercer essa atividade não possui capacitação para o trabalho.

Até o mês de setembro deste ano, os três maiores prontos-socorros do Amazonas - João Lúcio, 28 de Agosto e Platão Araújo - atenderam 8.844 vítimas de acidente de trânsito, gerando para o Estado um custo de R$ 2,03 milhões com internações, cirurgias e outros procedimento.

Segundo a Secretária Executiva Adjunta de Políticas Públicas da Saúde, Nayara Macksoud, no hospital Platão Araújo, neste ano, foram 2.929 atendimentos de vítimas envolvidas em acidentes no trânsito. No hospital João Lúcio, foram atendidas 3.605 vítimas de acidentes de trânsito, das quais 418 de acidentes com carros e 2.066 com motos. Já no hospital 28 de Agosto, 2.310 vítimas de trânsito foram atendidas na unidade.

“Apesar dos números eram altos, o índice de atendimento nas unidade de urgência e emergencia de vítimas de acidentes de trânsito reduziu 24,66% em relação ao mesmo período do ano passado. Em 2019, em nove meses, os três prontos-socorros da capital atenderam 11.735 vítimas de violência no trânsito, gerando um gasto para o Estado de aproximadamente R$ 2.698.580,60”, revelou.

Para diminuir o número de pacientes internados nesses hospitais em decorrência de acidentes de trânsito, a secretária destaca que o governo deu inicio ao plano de cirurgias ortopédicas noturnas, no período entre 19h e 1h. A Secretaria de Estado  de Saúde (Senas-AM) espera retirar, em 30 dias, 180 pacientes dos três principais hospitais da cidade, aguardando esse tipo de procedimento.

“O objetivo é realizar de segunda a sexta-feira, 15 cirurgias somente no hospital 28 de Agosto, ressaltando que a ação aconteceu paralelamente nos hospitais João Lúcio e Platão Araújo”, finalizou.