Carregador a energia solar é alternativa para celulares

Por Portal do Holanda

31/10/2014 13h32 — em Amazonas

Um carregador para dispositivos móveis ou telefones celulares movidos a energia solar foi criado em Manaus por um grupo de alunos da Escola Fucapi. O projeto intitulado ‘Carregador de celular portátil solar’ foi orientado pelo professor Alex Sander, para a turma do 3º módulo do curso de Eletrotécnica, é uma alternativa para contribuir com a redução de energia gerada a partir de combustíveis fósseis.

O objetivo da inovação é contribuir para economia de energia e ao mesmo tempo oferecer comodidade para os usuários de aparelhos móveis. O projeto está exposto na 11ª Feira Tecnológica Fucapi, que iniciou ontem (30/10) e segue até esta sexta-feira (31/10), das 9h às 21h, na sede da instituição (Blocos A e D – avenida Governador Danilo Areosa, 381, Distrito Industrial), com entrada franca.

O carregador funciona por meio de placas fotovoltaicas alimentadas pelos raios solares, tal como um sistema tradicional de energia solar, mas adaptado para alimentar baterias de celulares ou smartphones.  “Pensamos em um projeto para promover a cultura da utilização de energia limpa e, ao mesmo tempo, mostrar que é possível fazer um carregador voltado a sustentabilidade do planeta”, informou o aluno de Eletrotécnica, Roberto Jarbas, que faz parte da equipe do projeto.

Com potência para gerar até 5 Volts, o carregador tem a mesma performance de um movido a energia elétrica convencional, levando cerca de 1 hora para completar a carga do telefone celular, dependendo do estado de cada bateria, conforme explicou Jarbas.

 

Energia solar será principal fonte energética até 2050

Esse projeto segue a tendência mundial que busca alternativas de energia limpa para a construção de cidades sustentáveis. Dados de um relatório recém-divulgado pela Agência Internacional de Energia (AIE) prevê alto potencial solar, podendo ser a principal fonte energética do mundo até 2050.

No entanto, para que esta estimativa se torne realidade é necessário que certas políticas e investimentos sejam colocados em prática.

O documento intitulado ‘Perspectivas e Tecnologias em Energia – 2014’ informa que se houver uma combinação entre a energia solar fotovoltaica e a energia solar térmica concentrada, é possível que essa fonte garanta 26% da geração global. Esse montante seria o suficiente para elevar a produção de energia limpa para 65% e reduzir as emissões de gases de efeito estufa em até 40%.

Fotos: Cris Barbosa