Bioeconomia entra na pauta da Suframa em visita ao Idesam

Por Portal do Holanda

18/09/2020 16h28 — em Amazonas

Visita ao Idesam aconteceu no 11 de setembro - Foto: Divulgação/Suframa

Manaus/AM - A bioeconomia é um dos assuntos com maior destaque quando o tema em discussão é Amazônia. Sua potencialidade e as oportunidades advindas da biodiversidade local fazem com que esse possa ser um dos vetores econômicos complementares às atividades já realizadas no âmbito da Zona Franca de Manaus (ZFM). Foi para tratar desta temática que a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) visitou, no dia 11 de setembro, o Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam), coordenador do Programa Prioritário de Bioeconomia do Comitê de Atividades de Pesquisa e Desenvolvimento na Amazônia (Capda).

A visita, que reuniu a alta gestão da autarquia e dirigentes do Instituto, foi oportuna para que o Idesam pudesse apresentar alguns dos projetos desenvolvidos por meio de recursos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) na região, além das iniciativas para ampliar investimentos em projetos sustentáveis e de cunho bioeconômico. Óleos naturais, cafés regionais e o tradicional tucupi foram alguns dos exemplos comentados dentre os diversos produtos oriundos de projetos desenvolvidos localmente.

O diretor técnico do Idesam, Carlos Koury, destacou o compromisso do instituto com sua missão, focada em promover a valorização e o uso sustentável de recursos naturais na Amazônia e buscar alternativas para a conservação ambiental, o desenvolvimento social e a mitigação das mudanças climáticas. Koury agradeceu o apoio da Suframa e dos demais parceiros que acreditam e desenvolvem projetos que utilizam insumos da biodiversidade amazônica.

Para o superintendente da Suframa, Algacir Polsin, foi de grande valor conhecer a estrutura e as atividades desenvolvidas por meio do Idesam, em especial devido ao foco de atuação do instituto e aos projetos já estabelecidos no mercado. A interlocução com os parceiros também foi importante para avançar em pautas que estimulem o desenvolvimento de ações e projetos. "Acho fundamental que tenhamos maior integração, que atuemos com objetividade, para que os resultados esperados sejam alcançados, em especial no que se refere a desenvolvimento regional. Assim, pode-se gerar benefícios à população".