Compartilhe este texto

Setor da Aviação Brasileira Pede Apoio!


Por Orsine Jr.

01/02/2024 20h15 — em
Turismo, eu acredito!


Foto: Reprodução

A recente decisão da Gol Linhas Aéreas de buscar a proteção do Chapter 11, nos Estados Unidos, lançou algumas sombras sobre o horizonte do turismo brasileiro. Com uma dívida astronômica de quase R$41 bilhões, a gigante aérea enfrenta desafios monumentais, impactando não apenas seus credores, mas também o cenário turístico nacional.

Essa notícia chega de forma preocupante para o trade turístico do Amazonas, onde a malha aérea já enfrenta desafios significativos. A possibilidade de uma paralisação da Gol, que desempenha papel crucial no atendimento à nossa região, intensifica as apreensões de redução dos preços das passagens aéreas, essencial para fortalecer o turismo em todo o Brasil, que agora enfrenta mais esse obstáculo. A recuperação judicial da Gol torna-se não apenas uma questão corporativa, mas um desafio adicional para a vitalidade econômica e turística do país. O impacto potencial para aqueles que dependem do turismo, está em jogo.

No entanto, nem tudo são nuvens escuras. A Gol assegurou US$950 milhões em financiamento, prometendo manter suas operações. Se administrada com habilidade, essa reestruturação pode oferecer uma oportunidade de fortalecer a aviação na região, atraindo investimentos para infraestrutura aeroportuária e tornando a Amazônia ainda mais acessível aos viajantes.

Olhando o cenário atual da aviação brasileira, fica um questionamento no ar: Por que o Brasil ainda resiste em investir em companhias aéreas “Low Costs” para voos domésticos? Embora amplamente populares em outros países, essas empresas ainda não conquistaram o pleno reconhecimento dos consumidores brasileiros. Entretanto, fica cada vez mais evidente que as Low Costs representam uma tendência inevitável para o mercado nos próximos anos. 

A necessidade de expandir a malha aérea brasileira encontra nas Low Costs um aliado potencial, já que, ao oferecer voos mais acessíveis, essas empresas podem estimular o turismo nacional, incluindo o Amazonas, e contribuir significativamente para a vitalidade econômica do setor. Em meio a essas incertezas, é mais que importante ressaltar que as autoridades brasileiras, em especial aquelas ligadas ao turismo, estejam atentas e em constante atualização. 

Pelo fortalecimento do setor da aviação brasileira, Turismo, Eu Acredito!

Siga-nos no
Os artigos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados nesta coluna não refletem necessariamente o pensamento do Portal do Holanda, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

ASSUNTOS: Turismo, eu acredito!

+ Turismo, eu acredito!