Pureza nem era tão puro: aplicava golpes e roubava

Por Portal do Holanda

08/11/2014 7h03 — em Policial

 

A Polícia Civil do  Amazonas prendeu  o vigilante Elzon Pureza Cardoso, 27, investigado pela prática de vários assaltos em Manaus, dentre eles o golpe conhecido como “saidinha de banco”.

 

De acordo com a Titular do 12° DIP, Delegada Fabíola Queiroz, Elzon foi preso nas proximidades da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (DERFV), localizada na avenida Nilton Lins, bairro Parque das Laranjeiras, Zona Centro-Sul da cidade.

 

“No momento em que passava pelo local, ele foi reconhecido por uma das vítimas que acionou os policiais da unidade. Após a prisão, foi cumprido o mandado de busca e apreensão que estava em aberto no nome dele”, contou a delegada.

Na residência do vigilante, situada na rua 44C, bairro Amazonino Mendes, Zona Leste, foi encontrada uma das camisas que ele havia usado em um dos assaltos. Na delegacia, Elzon foi reconhecido por várias vítimas. Entre os golpes praticados por ele está o conhecido como “saidinha de banco”, onde as vítimas são observadas nas agências bancárias e após o recebimento de certo valor são seguidas e assaltadas.

 

No dia 19 de agosto deste ano, duas pessoas foram observadas desde o momento em que saíram de uma agência bancária, localizada no bairro Cachoeirinha, Zona Sul, até as suas residências situadas no bairro Flores, na Zona Centro-Sul. Elzon que estava em uma motocicleta, acompanhado de um comparsa, abordou as vítimas com uma arma de fogo e roubou os pertences e o dinheiro sacado.    

 

A delegada ressalta que as pessoas que foram vítimas do suspeito podem comparecer ao 12° DIP, localizado na Avenida Nilton Lins, n°325, bairro Parque das Laranjeiras, Zona Centro-Sul da cidade, para registrar a ocorrência e fazer o reconhecimento do autor.

 

Na unidade policial, Elzon foi indiciado pelo crime de roubo (Artigo 157 do Código Penal Brasileiro). Após a realização dos procedimentos necessários, ele foi encaminhado à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde aguardará a decisão da Justiça.