Juiz pede que OAB investigue advogado que avalizou documento falso para libertar réu

Juiz pede que OAB investigue advogado que avalizou documento falso para libertar réu

Por

20/03/2012 8h08 — em Amazonas

Manaus - O juiz Carlos Zamith de Oliveira Júnior, da 8ª Vara Criminal, em  sentença condenatória de Rafael Sena dos Santos, Thiago Pereira de Oliveira, Jones Castro Cruz, Herilton Cordovil Coelho e Worney Andrade de Goes - que na verdade era Walter Soares Goes Filho, abriu um parágrafo a parte para determinar que a OAB/Am verifique  se o advogado Sidney Souza, que subscreveu o pedido de liberdade instruído com documentos falsos praticou falta disciplinar no exercício da profissão.
 
Sidney Souza foi quem assinou um pedido de liberdade provisória do réu Walter Soares Góes Filho, que usou identidade falsa com o nome de Worney.
 
Carlos Zamith  só descobriu a armação depois de ter sido alertado por um delegado da Polícia Civil e de imediato revogou o benefício anteriormente concedido ao réu.

Na sentença, o magistrado afirma ter tomando conhecimento que o réu teria subornado a delegada e policiais civis lotados no 1º DP com a quanta de R$ 20 mil,  a fim de que fizessem “vista  grossa ” aos documentos falsos apresentados por ocasião da lavratura do auto de prisão em flagrante.

Zamith determina ainda que cópias dos documentos falsos sejam encaminhados à Corregedoria Unificada da Polícia Civil e Militar do Amazonas. a fim de que adote as providências inerentes ao caso

NULL

+ Amazonas