Compartilhe este texto

EUA dizem discordar de comparação de Lula entre guerra em Gaza e Holocausto

Por Folha de São Paulo

20/02/2024 18h00 — em
Mundo



BOA VISTA, RR (FOLHAPRESS) - Os Estados Unidos afirmaram nesta terça-feira (20) discordar da comparação feita presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) entre a campanha militar de Israel na Faixa de Gaza ao Holocausto perpetrado pela Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial.

"Obviamente, nós discordamos destes comentários. Temos sido muito claros em que não acreditamos que o que tem ocorrido em Gaza seja genocídio", afirmou a jornalistas o porta-voz do Departamento de Estado, Matthew Miller.

O secretário de Estado americano, Antony Blinken, chega nesta terça ao Brasil para reunião com Lula, em Brasília, e encontro de ministros do G20, no Rio de Janeiro. Miller evitou adiantar tópicos que seriam discutidos entre Blinken e Lula.

O presidente brasileiro comparou a ação israelense no território palestino ao extermínio de judeus na primeira metade do século 20 durante fala em reunião da União Africana, em Adis Abeba, no domingo (18).

A declaração foi amplamente rechaçada por Israel, que tem nos EUA seu principal aliado em meio ao conflito. O premiê Binyamin Netanyahu disse que Lula "cruzou a linha vermelha", e Israel declarou o petista "persona non grata".

Além disso, o embaixador brasileiro em Tel Aviv, Frederico Meyer, foi chamado para advertência pela chancelaria israelense --fora do protocolo, no entanto, no Memorial do Holocausto em Jerusalém, o que foi classificado por um diplomata brasileiro como "show". Meyer foi chamado de volta, e o chanceler brasileiro, Mauro Vieira, convocou o embaixador israelense no Brasil, Daniel Zonshine, para uma reunião.

Apesar da crise instalada, aliados e auxiliares avaliam que Lula não deve se desculpar pela comparação e que Israel quer aumentar a dimensão da crise com as ações tomadas após a declaração do presidente brasileiro.

Ainda nesta terça, os EUA vetaram pela terceira vez uma resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas para um cessar-fogo entre Israel e Hamas. A primeira vez em que exerceu seu poder de veto como membro permanente em deliberação sobre o tema foi por ocasião de texto proposto pelo Brasil, em outubro passado.

O país, no entanto, trabalha em versão alternativa de resolução, ainda sem data de votação, na qual deve sugerir uma trégua temporária e se opor à invasão da cidade de Rafah por Israel --lotado, o local concentra os deslocados internos pelo conflito.


Siga-nos no
O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Mundo

+ Mundo