GPA estuda parceria com o Mercado Livre

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

25/02/2021 19h35 — em Economia

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O GPA, maior grupo do varejo de alimentos da América Latina, está em conversas com o Mercado Livre, destaque no segmento de marketplace, para ampliar o poder de fogo da área de vendas digitais.

Dono das marcas Pão de Açúcar, Extra, Compre Bem, James Delivery, Éxito e, até o ano passado, do atacadista Assaí, o grupo faturou R$ 1,1 bilhão em 2020 e expandiu a operação digital na pandemia, com crescimento de 203% em vendas online na comparação com 2019. O Mercado Livre, por sua vez, opera em 18 países.

O aumento de vendas pela internet ocorreu também na Colômbia, onde atua o Éxito, adquirido pelo GPA em 2019. No país, o faturamento em vendas digitais em 2020 foi de R$ 2 bilhões, sendo R$ 1 bilhão somente no varejo de alimentos, e o crescimento das vendas pelo canal online chegou a 166%.

De acordo com o balanço de resultados da empresa, as vendas digitais em supermercados da rede aumentaram 198% no quarto trimestre de 2020, ante o mesmo período de 2019. No supermercado Pão de Açúcar, que ampliou a área de atendimento do ecommerce, o crescimento foi de 187% em comparação com o ano anterior.

Segundo levantamento do grupo, 60% dos seus clientes que fizeram compras nos ambientes digital e físico consumiram mais no ano passado. Quem comprava apenas em um canal e passou a comprar também online gasta 2,7 vezes mais do que os clientes de loja física.

A pandemia acelerou os planos de digitalização dos supermercados. No fim de 2020, o grupo lançou uma operação de marketplace, modelo de negócio no qual parceiros comerciais usam as plataformas do grupo para vendas. Antes da pandemia, o GPA havia anunciado investimento em lojas para escritórios, com o lançamento na sede do Bradesco Seguros, em Alphaville, Barueri (SP).

Para dar suporte às vendas digitais, a empresa ampliou os modelos de entrega, abriu quatro mini centros de distribuição no quarto trimestre, e intensificou o trabalho com startups. Hoje, das mais de 100 que atendem ao grupo, 25 trabalham focadas em transformação digital e agilidade em entregas.

O percentual de lojas que trabalham com os modelos de ecommerce expresso, em que o cliente retira os produtos no mesmo dia da compra, e "clique e retire", na qual o cliente compra pela internet e vai até a unidade buscar a mercadoria, cresceu 141% em comparação com 2019. Os dois modelos são responsáveis por mais da metade das compras virtuais.

No início da pandemia, em março, as redes Pão de Açúcar e Extra chegaram a levar mais de duas semanas para entregar pedidos feitos via internet.

O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

+ Economia