Compartilhe este texto

Condenado em última instância por estupro, Robinho não será preso; entenda

Por Portal do Holanda

19/01/2022 15h46 — em
Brasil


Foto: Divulgação

Nesta quarta-feira (19), o jogador foi condenado em última instância a 9 anos de prisão pela justiça italiana por estupro. Brasileiro nato, Robinho será beneficiado pelo artigo 5º da Constituição Federal Brasileira, que veta totalmente a extradição, exceto em casos de crime de tráfico de entorpecentes.

A extradição é um ato de cooperação internacional que consiste na entrega de um criminoso ao país que o condenou.

O crime aconteceu em uma boate de Milão em 2013, quando Robinho, Ricardo Falco e outros quatro brasileiros embriagaram e estupraram uma jovem de origem albanesa.

No entanto, caso o Robinho viaje para alguns países que possuem acordo de extradição com a Itália, ele pode ser preso e deportado para cumprimento da pena na Itália.

Alguns dos países que possuem acordo com a Itália são: Argentina, Austrália, Bélgica, Bolívia, Canadá, Chile, China, Colômbia, Coreia do Sul, Espanha, Estados Unidos, França, entre outros

O advogado Fabrício Posocco explicou ao G1 que de acordo com a Lei de Imigração, há a possibilidade de autorização da transferência de pena para que seja cumprida aqui no Brasil, mas esse pedido de transferência precisa ser feito pela Justiça Italiana.


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Brasil

+ Brasil