Siga o Portal do Holanda
OPERAÇÃO SANGRIA: justificativa da PGR para prorrogar prisão de acusados

OPERAÇÃO SANGRIA: justificativa da PGR para prorrogar prisão de acusados

Publicado

em

Ao alegar que “a coleta de provas relativa aos investigados detidos temporariamente durante a Operação Sangria, foi iniciada, mas ainda não  concluída", para justificar o  pedido de prorrogação da prisão temporária dos acusados, a subprocuradora-geral da República, Lindôra Maria Araújo, se utiliza de um artificio questionável para mantê-los presos.

Provas há, mas ao fazer essas alegações, a subprocuradora passa a ideia, ruim, de que não havia evidência que sustentasse não apenas a operação, já realizada - ou que o material colhido durante as buscas não balizaria o inicio de um processo judicial contra os acusados. Não ainda.

As acareações são importantes na montagem do inquérito  - e é este o objetivo da subprocuradora ? São. Mas podem ser realizadas independentemente de os acusados continuarem presos..

Apelar para a tortura do confinamento para que pessoas falem talvez mais do que fizeram nos leva a tempos medievais.

O que se questiona são contradições nos argumentos da PGR- entre realizar a operação  e os motivos que alega para a conclusão do inquérito.

O ministro optou pela prisão domiciliar. Mas o episódio chama a atenção para o fato de que a PGR  está indo além do seu papel de fiscal da sociedade. Quer ser a Polícia e quer ter a caneta para confinar  acusados sem condenação formal. Quer, mas não tem esse papel.  Os pedidos de prorrogação de prisões temporárias ocorrem em excesso e são acatados  porque o Judiciário tornou-se pequeno.


+ BASTIDORES DA POLÍTICA

Já leu estas ?

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

Copyright © 2006-2020 Portal do Holanda.