Siga o Portal do Holanda

Amazonas

TRT acata ação de sindicato e greve de ônibus é descartada

Publicado

em

Manaus - O diretor do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário de Manaus (STTRM), Jaildo Oliveira, informou na manhã desta quarta-feira que a greve no sistema de transporte coletivo foi cancelada definitivamente. A afirmação foi feita depois que o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) deu parecer favorável à ação trabalhista que a categoria movia. Na terça-feira à noite, em reunião com o prefeito Arthur Neto, os representantes do sindicato já haviam assinado um termo de compromisso com a Prefeitura de Manaus garantido o funcionamento do sistema.

Com a decisão do desembargador David Melo Júnior, questões como recusa de atestado médico  e não pagamento do Fundo de Garantia por Tempo e Serviço (FGTS) foram revertidas, beneficiando a categoria. O parecer da Justiça do Trabalho ainda prevê a proibição de redução salarial entre motoristas e cobradores das linhas de transporte coletivo da cidade e o fim banco de horas.

“Depois da reunião com o prefeito Arthur Neto achamos por bem suspender a greve até que a ação fosse julgada. Nós estivemos no TRT pela manhã e ficamos satisfeitos com o que foi decidido, então não há mais porque fazer greve no transporte coletivo. Agora vamos comunicar os trabalhadores para mostrar quais foram nossos ganhos reais”, disse Jaildo.

Ainda segundo sindicato, depois que os trabalhadores forem comunicados da decisão, será feita uma nova convocação para outra assembleia. Desta vez, a categoria pretende discutir os itens para a Convenção 20012/13, como café da manhã e aumento salarial.

O prefeito Arthur Neto tomou conhecimento da decisão do TRT e mais uma vez disse que foi acertada a decisão da categoria em não paralisar o sistema, o que prejudicaria o transporte da cidade inteira. De acordo com ele, o Poder Executivo está de portas abertas para discutir com os rodoviários sempre que eles se sentirem prejudicados de alguma forma.

“Volto a dizer, a greve tem que ser apenas o último recurso de qualquer trabalhador. Quando uma paralisação é prevista, a categoria tem que fazer a população entender os motivos. Quando há uma greve o movimento se torna bem mais forte quando existe apoio do povo. Quando isso não existe torna-se um ato impopular que se volta contra a categoria. Estamos aqui para manter esse diálogo com os trabalhadores”, afirmou Arthur.

Esta foi a segunda vez apenas neste ano que a Prefeitura de Manaus precisou intervir para que a categoria não paralisasse as atividades.

 

 

 

NULL

Professores x Governo: Lições de como acabar com uma greve

Para compartilhar esteconteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.


Copyright © 2006-2019 Portal do Holanda.