Não vou permitir balada rolando e escolas fechadas, diz governador do AM

Por Portal do Holanda

24/09/2020 11h52 — em Amazonas

Wilson Lima durante coletiva de imprensa nesta quinta-feira - Foto: Reprodução

Manaus/AM - O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), declarou, nesta quinta-feira (24), que não vai permitir a balada rolando enquanto as escolas estão fechadas em Manaus. A fala ocorreu após o anúncio do fechamento de estabelecimentos por conta do aumento de casos da Covid-19 no Estado, principalmente em Manaus, e a volta às aulas do ensino fundamental da rede estadual na capital amazonense.

A declaração ocorreu durante coletiva de imprensa. O governador afirmou que os casos de Covid-19 apresentam um aumento no Estado, atingindo principalmente pessoas das classes A e B, que estão aglomerando em festas realizadas em casas de show, bares, flutuantes e outros locais privados. Wilson citou exemplo do fechamento de dois locais, no último final de semana, com 7 mil pessoas.  

“Essa tendência de aumento dos casos tem acontecido nas classes A e B, resultado de aglomerações que todos nós temos acompanhado nas redes sociais. Só no último fim de semana fechamos dois estabelecimentos que reuniam 7 mil pessoas. Isso que tem resultado nesse aumento, de atitudes que não condizem com aquelas orientações dadas pelas autoridades para evitar transmissão pela Covid-19”, explicou o governador. 

Wilson Lima frisou que não é o retorno das aulas que está causando esse aumento de casos em Manaus. “Não é o retorno das aulas, ou das atividades letivas ou das escolas que estão causando esse aumento de casos em Manaus. Eu não vou permitir a balada rolando enquanto escolas estão fechadas. Eu não vou deixar balada aberta e escola fechada. Nós não podemos punir o aluno do ensino público porque alguns querem ir pra balada”, frisou. 

O governador ainda pediu ajuda aos donos de estabelecimentos comerciais que estão respeitando as medidas de prevenção contra o novo coronavírus para que denunciem as aglomerações e outras infrações que não condizem com os cuidados previstos contra a Covid-19. 

+ Amazonas