Melo decreta estado de emergência e anuncia medidas para solucionar falta de água

Por

27/06/2014 16h36 — em Amazonas

O governador José Melo decretou estado de emergência por conta da falta de abastecimento de água nas zonas norte e leste de Manaus, após a balsa com rebocador “Antônio Soares” atingir a estrutura que sustenta a adutora do Proama na última terça-feira. O anúncio foi feito na Sede do Governo, bairro Compensa, zona sul de Manaus.
 
Na ocasião, Melo também anunciou medidas emergenciais tomadas em conjunto com a Prefeitura de Manaus e a empresa Manaus Ambiental para amenizar o problema. “Nós estamos em uma emergência com esse desabastecimento nas zonas norte e leste. Em conjunto com o prefeito Arthur Neto, tomamos todas as providências para contratação de especialistas para restabelecer o mais rápido possível o abastecimento de água”, ressaltou.
 
Melo destacou que os responsáveis serão punidos caso as investigações comprovem falhas. “O Governo está aguardando a Capitania e o término do nosso inquérito para tomar as providências. Vamos apurar as responsabilidades criminais ou do ponto de vista do ressarcimento aos cofres públicos”, disse.
 
Segundo a concessionária Manaus Ambiental, das 500 mil pessoas afetadas com a falta de água após o acidente, 300 mil moradores dos bairros São José, Mutirão e Cidade de Deus já tiveram o sistema restabelecido. Outras 150 mil pessoas são atendidas após a religação gradativa de poços artesianos que atendiam essas áreas antes do Proama. Dos 29 poços previstos, 18 já foram religados pela empresa.
 
As outras 50 mil pessoas estão com abastecimento totalmente interrompido e, para atendê-las, o Governo do Estado, Prefeitura de Manaus com parceria do Exército e a empresa Manaus Ambiental disponibilizaram ao todo 25 carros-pipa, para garantir o abastecimento. O governador pediu para que a população economize água e afirmou que até a próxima segunda-feira, dia 30, deverá ter o resultado do laudo técnico da situação da estrutura.
 
“A água economizada em qualquer parte da cidade chegará aos nossos irmãos das zonas Leste e Norte da cidade. Até segunda-feira nós teremos o resultado do tramalho técnico que encomendamos por uma empresa especialista de São Paulo que nos vai dizer como vamos ancorar a adutora e assim, com segurança, religar as bombas”, destacou.