HAPVIDA investigada por manter em seus quadros médicos com especialidade duvidosa

Por

05/11/2014 20h43 — em Amazonas

MANAUS - O Ministério Público Federal no Amazonas (MPF) publicou uma portaria onde abre inquérito contra a empresa de planos de saúde Hapvida, acusada de ter em seus quadros supostos falsos especialistas em ortopedia e traumatologia.

Conforme os primeiros levantamentos do MPF, de todos os profissionais disponibilizados no site da HapVida, somente a médica Danielle Soares Morel possui registro na especialidade. Na portaria, o Procurador Rafael da Silva Rocha lembra que é vedado ao médico “anunciar títulos científicos que não possa comprovar a especialidade ou área de atuação para a qual não esteja qualificado e registrado no Conselho Regional de Medicina” (art. 115 do Código de Ética Médica, Resolução CFM nº 1.931/2009).

O Conselho Regional de Medicina terá trinta dias para informar o MPF sobre casos relacionados à HapVida, assim como a situação dos médicos flagrados sem o devido registro. Estes por sua vez, deverão no prazo de dez dias, apresentar comprovantes da especialidade em ortopedia e traumatologia. Caso contrário, serão legalmente penalizados.