Cientistas utilizam plantas amazônicas em pesquisa para enfrentar covid-19

Por Portal do Holanda

15/07/2020 13h10 — em Coronavírus

Plantas pesquisadas permanecem sob sigilo - Foto: Eustáquio Libório/PH

Manaus/AM - Em todo o mundo, diversos grupos de pesquisa trabalham pela descoberta de medicamentos que possam ajudar no tratamento da covid-19, ou mesmo atuar de forma preventiva.

No Brasil, pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Química da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), estão desenvolvendo estudos sobre a atuação de produtos naturais contra a doença. Os estudos utilizam substâncias da flora amazônica.

Os pesquisadores trabalham, inicialmente, com modelagens computacionais, em que, por meio de um banco de dados, selecionam substâncias já conhecidas que poderiam atuar na inibição da doença. Por essa modelagem, alguns compostos naturais foram capazes de impedir o contágio e a replicação do coronavírus.

A pesquisadora Ananda Antônio explica que três classes químicas de substâncias tiveram resultados mais promissores, como flavonoides, terpenoides e esteroides. Mas é preciso cautela.

Sigilo sobre plantas

Os pesquisadores preferem não divulgar quais plantas estão sendo estudadas para que não haja uma corrida em busca da substância antes dos testes conclusivos.

A equipe está otimista com o avanço das pesquisas e com os resultados dos estudos obtidos até o momento. Segundo Ananda, pode haver resultados a curto prazo.

Os pesquisadores reforçam que o uso de plantas medicinais é muito difundido em todo o mundo, mas no caso da covid-19, por se tratar de uma doença nova, não é seguro utilizar qualquer medicação ou tratamento sem o devido respaldo científico.

O uso indevido pode gerar intoxicação e efeitos colaterais que agravem o estado do paciente. Informações da EBC.


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

+ Coronavírus