Caprichoso aguarda liberação de recursos para quitar folha

Por

11/07/2014 14h39 — em Amazonas

O diretor administrativo do Boi Caprichoso, Elias Michiles, informa que o atraso no pagamento da última parcela dos contratos e acordos da temporada de 2014, avaliado em aproximadamente R$ 1,3 milhão, se deu em função do não repasse dos recursos de patrocinadores disponibilizados para o festival. O planejamento para a quitação dos débitos da associação foi montado em cima das datas previstas de liberação de recursos: 7, 10, 12, 14, 20 e 31 de julho.

“Os recursos previstos para 7 e 10 estão atrasados. Nossa preocupação hoje é realmente quitar a folha de pagamento e honrar os compromissos do Caprichoso, principalmente com a mão de obra. O presidente Joilto Azêdo manteve encontro com a procuradora do Ministério Público do Trabalho, Fabíola Salmito, para discutir o cumprimento do Termo de Ajustamento de Conduta, assinado pela diretoria dos bumbás há 2 anos”, explica o diretor administrativo.

 
Patrocinadores

Elias Michiles afirma que os recursos do Caprichoso não estão bloqueados. Entretanto, a última parcela dos patrocínios da Secretaria de Estado da Cultura, Coca-Cola, Petrobras e Eletrobras só é liberada, mediante entrega de documentos da procuradora do Ministério Público do Trabalho relacionado ao TAC. O valor da última parcela ultrapassa R$ 1 milhão devido a rescisões, Fundo de Garantia por Tempo de Serviço e recolhimento de Previdência Social, entre outros impostos. Em 2014, O Boi-Bumbá Caprichoso assinou quase 500 carteiras de trabalho.