Beneficente Portuguesa propôs tratar paciente não-covid e ficou sem resposta

Por Portal do Holanda

01/07/2020 15h41 — em Amazonas

Diretor da Beneficente Portuguesa, Victor Vilhena depôs como testemunha- Foto: Reprodução

Em audiência na CPI da Saúde da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), que investiga irregularidades em contratações do governo do Estado vinculadas à Secretaria de Saúde (Susam), o advogado e diretor da Sociedade Beneficente Portuguesa (SBP), Victor Vilhena Gonçalo da Silva, prestou depoimento como testemunha nesta quarta-feira.

Entre os esclarecimentos prestados, Victor Vilhena disse que, à época da pandemia, a Beneficente Portuguesa tinha 34 leitos clínicos voltados para pacientes não-covid, que poderiam ser equipados, se o governo estadual - Susam - oferecesse equipamentos, em leitos e UTIs voltados para atender pacientes covid-19.

O representante da Beneficente disse que apresentou proposta oferecendo leitos para tratamento de retaguarda, voltados para pacientes de outras doenças e traumas, mas não teve resposta.

Os deputados Serafim Corrêa (PSB) e Wilker Barreto (Podemos), membros da CPI, disseram que têm opinião formada acerca da opção da administração estadual por montar uma estrutura mais cara para atender a pandemia.

O diretor do Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), Júlio Mário Melo de Lima, não prestou depoimento por problemas de comunicação. Os questionamentos foram encaminhados ao depoente e a oitiva encerrada.

+ Amazonas