Amazonas tem um representante no Parlamento Jovem Brasileiro

Por Portal do Holanda

22/09/2020 13h51 — em Amazonas

Salomão estuda na Escola Estadual (EE) Ângelo Ramazzotti - Foto: Lincoln Ferreira/Secom

Manaus/AM - "O meio ambiente e a sociedade são apenas um, e a saúde da população é totalmente dependente deste recurso". É assim que o estudante Salomão Moreira, único amazonense selecionado para participar do Parlamento Jovem Brasileiro (PJB), define a sua proposta para o programa. 

Salomão Moreira estuda na Escola Estadual (EE) Ângelo Ramazzotti, ele é propositor do projeto de lei que acrescenta investimentos para a fiscalização e acompanhamento da Política Nacional dos Resíduos Sólidos (Lei n°12.305, de 22 de fevereiro de 1989), criando, assim, uma comissão multiprofissional no âmbito do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

"Depois de vários debates, juntamente com o professor que me orientou, chegamos à pauta sobre a Política Nacional dos Resíduos Sólidos, na qual consegui enxergar várias falhas e o que eu poderia fazer para reverter a situação. Escolhi tratar sobre o meio ambiente porque eu acredito que a sociedade deve abandonar a ideia iluminista de que a natureza só obtém serventia para a operacionalização do homem sobre ela", conta Salomão.

Educação para democracia

O Parlamento Jovem Brasileiro (PJB) é um programa de educação para democracia que, anualmente, oferece a estudantes do Ensino Médio de todo o país a oportunidade de simular a jornada de trabalho dos deputados federais. Neste ano, devido à pandemia da Covid-19, as atividades ocorrerão de forma remota, inicialmente, com as sessões plenárias na capital federal previstas para ocorrer entre os dias 11 e 14 de maio de 2021.

Estudante da 3ª série do Ensino Médio, Salomão explica que tinha muita confiança de que o seu projeto fosse escolhido para representar o Amazonas no Distrito Federal. "É uma sensação única. Eu me sinto muito feliz, orgulhoso e ansioso para a jornada parlamentar. Desde as primeiras discussões com meu professor, acreditei que poderia ter o projeto selecionado para a etapa nacional", enfatizou.

Rodrigo Pavani, professor que orientou o estudante, afirma que buscou estimulá-lo a abordar o assunto a partir da realidade do estado.