Compartilhe este texto

Curta-metragem amazonense, Terra Nova ganha prêmio e menção honrosa

Por Portal do Holanda

15/12/2021 16h15 — em Agenda Cultural

Foto: Divulgação / Gravado no bairro Terra Nova em Manaus, a produção é da Artrupe

Manaus/Am - O curta-metragem amazonense Terra Nova, dirigido por Diego Bauer, foi lembrado 2 vezes na cerimônia de premiação do 54º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. O filme ganhou o Prêmio Cosme Alves Netto, entregue pela Anistia Internacional ao filme que mais se aprofunda nas agendas de direitos humanos, e também uma menção honrosa às atrizes do filme, Karol Medeiros e Isabela Catão.
 
Terra Nova é uma produção da Artrupe realizada com o apoio do Governo Federal e Manauscult através do Edital de Conexões Culturais, Lei Aldir Blanc. O filme acompanha o período de abril de 2020 no bairro Terra Nova, zona norte de Manaus, pelo ponto de vista de Karoline (Karol Medeiros), uma atriz de teatro que decide ir em busca do seu auxílio emergencial. Ela é acompanhada da irmã (Isabela Catão), que vai em busca de reaver o seu emprego.
 
A Anistia Internacional justificou a escolha pelo filme: “Ficamos absolutamente encantados como o filme conduz um retrato fiel do Brasil atual, saindo do lugar comum trazendo uma narrativa singular. Terra Nova denuncia de forma didática o abandono do Governo Federal ao setor da cultura, e também a ineficácia de construir políticas públicas eficazes no combate à desigualdade durante a pandemia do Covid-19. Destacamos como o direito à cultura está presente em cada uma das etapas dessa obra. O filme se passa em Manaus, uma das cidades que mais sofreu com o abandono do Governo Federal. Parabenizamos e muito o diretor, e toda a equipe pelo excelente trabalho realizado, adoramos como o protagonismo feminino está posto nesse filme, e celebramos cada um de vocês pelo trabalho realizado e gerado por esta obra”.
 
O júri oficial do festival, composto por Marcelo Janot, Karen Black e Anamaria Mühlenberg, também concedeu uma menção honrosa às atrizes de Terra Nova, Karol Medeiros e Isabela Catão.
 
“Acredito que ter seu trabalho reconhecido é sempre revigorante, ainda mais quando parte da sua carreira foi cheia de incertezas, desistências, um punhado de dificuldades. Ser artista nunca foi o maior sonho da minha vida. Foi uma necessidade, e é pela necessidade de lutar pelo o que eu acredito e quem sabe mudar alguma coisa em qualquer lugar ou pessoa, que estou tornando desse ofício minha vida há 12 anos e há alguns anos eu tinha uma vontade enorme de estar num set de filmagem. Com muita paciência esperando, a oportunidade chegou e chegou bonita. Essa menção veio como um presente pra mim. Parece uma mão quentinha dando umas batidinhas na costa dizendo ‘vai lá, você está no caminho certo’”, afirma Karol Medeiros.
 
Isabela Catão também comentou a menção: “Nada mais é do que o reconhecimento vindo de outros lugares. Querendo ou não isso é importante pra gente enquanto atriz, equipe. Sinto que cada vez mais alcançar esses lugares é importante porque faz com que a gente não desista de fazer aquilo que a gente acredita. É tão bom a gente fazer o que ama. A gente sabe que a arte é marginalizada, vista como algo que não importa, quando na verdade é algo que importa muito. Acho que também contribui pra que outras pessoas consigam realizar aquilo que elas acreditam, teve uma equipe inteira que comprou a ideia, essa menção honrosa pra mim representa um reconhecimento, e que estamos em um caminho que é bom”.

Além dos prêmios no Festival de Brasília, Terra Nova foi o vencedor da Mostra Competitiva Nacional do XVII Panorama Internacional Coisa de Cinema, que ocorreu de 1 a 8 de dezembro, no Cine Glauber Rocha em Salvador. O filme venceu o prêmio de Melhor Filme, escolha do júri, e Melhor Filme, escolha do júri jovem. Meses atrás o filme amazonense já havia recebido prêmio de Melhor Filme Estrangeiro do Istambul Film Awards, na Turquia, e uma Menção Honrosa do Hommage Festival, da Austrália.
 
“Quando a gente realiza um filme, nem passa pela cabeça se ele vai ou não receber prêmio. Na verdade, já é uma alegria enorme apenas ter conseguido realizar este filme, algo que na realidade que vivemos hoje é a maior vitória que poderíamos ter. Essa participação e prêmios em festivais é resultado de um trabalho de uma equipe que trabalha junta há anos, e que aqui foi liderada por duas atrizes talentosas, éticas e que são capazes de elevar o trabalho de todo mundo. Muito mais do que participação em festivais, meu objetivo é que esse filme seja visto pelo público comum, e que seja discutido, como uma maneira de lembrarmos, pra nunca mais esquecer, como chegamos no estágio que chegamos aqui em Manaus”, conta o diretor Diego Bauer.
 
Terra Nova tem previsão para ser disponibilizado na internet em 2022.


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Agenda Cultural

+ Agenda Cultural