Compartilhe este texto

Macapá é capital mais violenta do Brasil, segundo anuário; veja lista

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

28/06/2022 19h06 — em
Variedades



SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Macapá tem a maior taxa de mortes violentas intencionais (MVI) entre as capitais brasileiras, de acordo com a 16ª edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado nesta terça-feira (28).

Segundo o documento, a capital do Amapá registrou taxa média de 63,2 mortes violentas por 100 mil habitantes no ano passado.

Entre todos os municípios, conforme o anuário, São João do Jaguaribe (CE) é apontada a cidade mais violenta do país, com taxa média de 224 mortes violentas por 100 mil habitantes.

O documento aponta que a violência cresceu 31,2% em Macapá, já que em 2020, primeiro ano da pandemia de Covid-19, o MVI era de 48,2.

Na média geral entre as capitais, segundo o anuário, houve queda de 7,9% no índice de 2020 para o ano passado. Seis das 27 unidades da Federação tiveram alta no índice

Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a categoria mortes violentas intencionais corresponde à soma das vítimas de homicídio doloso (incluindo os feminicídios), latrocínio, lesão corporal seguida de morte e mortes decorrentes de intervenções policiais em serviço e fora (em alguns casos, contabilizadas dentro dos homicídios dolosos).

A categoria MVI representa o total de vítimas de mortes violentas com intencionalidade definida de determinado território. "O número de policiais mortos já está contido no total de homicídios dolosos e é aqui apresentado apenas para mensuração do fenômeno", explica o documento.

No caso da capital do Amapá, dos itens analisados, só lesão corporal seguida de morte registrou queda nos dois anos comparados, em números absolutos, de 13 para 9 ocorrências. Os demais todos cresceram. No caso de latrocínios, o roubo seguido de morte, a alta foi de 350%, passando de 4 para 18 registros.

As 14 primeiras são capitais com mais índices de violência na lista são de estados do Norte e do Nordeste.

A maior redução na variação (-48%) foi registrada por Rio Branco. A capital do Acre teve queda de 44,5 mortes violentas por mil habitantes em 2020 para 23,1.

São Paulo foi a capital com menor média no índice, com 7,7 mortes violentas por 100 mil habitantes em 2021, contra 9,5 no ano anterior e variação de -19,1%.

O anuário apontou que o município paulista apresentou a menor taxa de vítimas de homicídios dolosos entre as capitais. Em 2021, foram 4,9 mortes a cada grupo de 100 mil habitantes no município contra 5,8 em 2020 -- variação de -15,4%.

Na outra ponta do ranking de homicídios entre as capitais, Manaus teve a maior variação, com 58,7%, passando de 29,6 para cada 100 mil habitantes para 47.

Nos casos de feminicídio, Palmas é a capital com maior taxa, de 4,3 mortes por 100 mil habitantes. A menor é a de Fortaleza, com 0,3.

A média de todas as capitais do Brasil, no ano passado, ficou em 17,5 a cada 100 mil habitantes. Também no geral, a variação foi de -7,7% nos homicídios dolosos entre as capitais.

Mortes violentas nas capitais

Capital e Distrito Federal - Taxa em 2020 (morte/100 mil habitantes) - Taxa em 2021 (morte/100 mil habitantes) - Variação (%)

Macapá (AP) - 48,2 - 63,2 - 31,2

Salvador (BA) - 53,8 - 55,6 - 3,40

Manaus (AM) - 35,3 - 52,5 - 48,9

Teresina (PI) - 33,8 - 37,0 - 9,50

Boa Vista (RR) - 31,7 - 34,8 - 9,90

Fortaleza (CE) - 48,5 - 34,3 - -29,3

Recife (PE) - 33,4 - 33,1 - -1,20

Porto Velho (RO) - 29,9 - 32,4 - 8,60

Maceió (AL) - 36,1 - 29,8 - -17,5

Aracaju (SE) - 37,0 - 29,4 - -20,4

João Pessoa (PB) - 29,4 - 28,1 - -4,30

Natal (RN) - 27,5 - 24,0 - -12,9

Rio Branco (AC) - 44,5 - 23,1 - -48,0

São Luís (MA) - 25,2 - 22,8 - -9,90

Palmas (TO) - 33,6 - 22,3 -33,6

Belém (PA) - 25,6 - 22,3 - -12,9

Vitória (ES) - 21,6 - 21,1 - -2,20

Porto Alegre (RS) - 20,6 - 20,0 - -2,90

Rio de Janeiro (RJ) - 21,0 - 19,2 - -8,50

Curitiba (PR) - 17,8 - 16,7 - -6,50

Goiânia (GO) - 24,9 - 16,6 - -33,3

Campo Grande (MS) - 20,1 - 15,3 - -23,9

Distrito Federal - 13,9 - 11,2 - -19,4

Florianópolis - 16,1 - 10,8 - -32,7

Belo Horizonte - 13,6 - 10,8 - -20,7

Cuiabá - 17,5 - 10,6 - -39,4

São Paulo - 9,5 - 7,7 - -19,1

Total - 23,6 - 21,7 - -7,9



O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Variedades

+ Variedades