Compartilhe este texto

Dona de clínica onde homem morreu após peeling oferecia curso a R$ 5 mil

Por Folha de São Paulo

11/06/2024 10h30 — em
Variedades



SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A influenciadora Natália Becker, investigada pela morte de um cliente após aplicação de peeling de fenol, também usava as redes sociais para anunciar um curso que qualificaria seguidoras para fazer tratamentos em outras pessoas.

Tratamento batizado de "mellan-peel" era indicado para "melasmas, olheiras e sardas". Na descrição do curso, Natália afirmava que desenvolveu o método por conta própria. As informações constam em publicações nas redes sociais de Natália e em um grupo no WhatsApp.

Seguidora que quisesse fazer curso precisaria pagar R$ 4.990. O pagamento poderia ser feito em até 12 vezes com juros.

A página para se inscrever no curso continuava ativa na manhã desta terça-feira (11). A página de Instagram de Natália foi retirada do ar, mas as publicações do Facebook dela continuavam a detalhar o que era o sistema "mellan-peel". Nos textos, ela explicava que a técnica usava "despigmentantes à base de ácido".

Natália ressaltava que seguidoras não precisavam de formação acadêmica para aprender técnica. Em grupo no WhatsApp, influenciadora afirmava que "qualquer pessoa pode começar do zero e fazer o primeiro atendimento em oito dias".

Curso tinha "vagas limitadas". Nas publicações, ela afirmava que somente 100 vagas para o curso seriam abertas e que as primeiras seguidoras que se inscrevessem ganhariam materiais em casa para "recuperar o valor investido".

Curso foi anunciado antes da morte de Henrique Silva Chagas, informou defesa. Ao UOL, a advogada de Natália, Tatiane Fortes, afirmou que neste momento, Natália parou todas as atividades. A defesa também informou que segue aguardando o laudo médico sobre o caso.

"[O mellan-peel] Consiste em aplicar ativos despigmentantes à base de ácidos com ação de descamar, clareando a pele com melasma e inibindo a produção de melanina, prevenindo o surgimento de novas manchas", disse Natália Becker, em publicação no Facebook.


Siga-nos no
O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Variedades

+ Variedades