Compartilhe este texto

Cheia de rios deixa cidades inundadas, sem água e sem energia em Alagoas

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

02/07/2022 20h03 — em
Variedades



MACEIÓ, AL, E SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A chuva que caiu no agreste de Pernambuco e zona da mata de Alagoas nas últimas 24 horas provocou transbordamento de todos os rios que cortam Alagoas vindo da estado vizinho. Segundo o governo do estado, 29 cidades estão em situação crítica, mas houve problemas em praticamente todas as 102 cidades do estado.

Segundo a Semarh (Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos), apesar da chuva ter dado um trégua, existe uma tendência de que os rios sigam com níveis elevados até pelo menos este domingo.

A reportagerm, a empresa Equatorial informou que, por medida de segurança e à pedido do poder público municipal, desligou a rede elétrica em decorrência de inundações em 9 cidades: Atalaia, Quebrangulo, Paulo Jacinto, São José da Laje, Murici, Major Izidoro, União dos Palmares, Branquinha e Santana do Mundaú. Não há ainda previsão de retorno.

Segundo o governo do estado, 30 cidades estão com sistema de abastecimento de água também comprometidos, sendo 19 delas do sertão da região conhecida como Bacia Leiteira. Há ainda muitas cidades estão ilhadas porque pontes estão cobertas ou foram levadas pela água.

"Choveu em um dia o que chove em média o mês interior; Murici, por exemplo, foi quase metade Alagoas está metade alagada", afirma o tenente-coronel Moisés Melo, coordenador da Defesa Civil Estadual, informando que não mortes ou desaparecimentos registrados até o momento.

Segundo ele, diante do cenário calamitoso, os municípios ainda não informaram o número de desabrigados e desalojados —o que deve ocorrer neste domingo. "Nossa prioridade e dar assistências às vítimas, e estamos apoiando os municípios. Mas a situação é muito grave.

O governador Paulo Dantas (MDB) afirmou, entre entrevista coletiva nesta noite, que foram 29 municípios mais atingidos, mas citou que as cheias atingiram os 102 municípios do estado. "Pela primeira vez nos registros do estado, todas as bacias hidrográficas tiveram transbordamentos", diz.

Dantas anunciou que vai assinar um decreto de emergência de 16 municípios (13 deles já estavam em emergência por conta das chuvas de maio e junho).

Ainda em entrevista, o governador também fez cobranças ao governo federal para que atue para liberar os acessos danificados pelas chuvas. "Nós temos problemas nas BRs 314, 104 e 101. A gente pede que o governo atue com celeridade, e nos colocamos à disposição para encontrarmos uma solução", afirma.

Pelo menos dois grandes rios que cortam a zona da mata transbordaram: o Mundaú e o Paraíba. Pequenos afluentes deles também transbordaram. Segundo a Serviço Geológico do Brasil, na manhã de hoje o nível rio Mundaú em União dos Palmares chegou dos 8,07 metros, 2,27 metros a mais que a cota de transbordamento.

A orientação é que descolamentos pelas BRs sejam adiados, já que não há como passar nem em direção a Pernambuco, nem a Sergipe.

Para atender as demandas, o governo do estado montou um gabinete de crise para dar respostas aos municípios e atender pessoas desalojadas ou desabrigadas. O governo Paulo Dantas (MDB) faz um sobrevoo agora à tarde para ver os estragos provocados pelas enxurradas.

A Defesa Civil Estadual disse que realizou resgates de famílias em telhados e varandas no interior do estado. "As próximas 72 horas, a situação meteorológica vai intensificar ainda mais a vazão da bacia do Mundaú que já esta critica", alerta o meteorologista e professor da Ufal (Universidade Federal de Alagoas), Humberto Barbosa.

De acordo com a Semarh, a previsão é de chuvas isoladas em todo o estado, com exceção do sertão do São Francisco, que terá períodos curtos de sol intercalados com períodos de nuvens. Mas há risco de chuva na região.

Rios em níveis críticos

Segundo a Semarh, os níveis do rio Mundaú e de seus principais afluentes nas cabeceiras se mantêm acima das cotas de transbordo nos municípios de Santana do Mundaú, São José da Laje, União dos Palmares, Branquinha e Murici. Em Rio Largo, a previsão é que o rio transborde.

O nível do rio Paraíba está acima da cota de transbordo nos municípios de Paulo Jacinto, Viçosa, Cajueiro e Capela. Há risco de transbordamento da calha principal do rio na cidade de Atalaia.

No caso das lagoas Mundaú e Manguaba, os níveis estão em elevação. A lagoa Manguaba atingiu a cota de transbordo na manhã deste sábado no município de Marechal Deodoro e a tendência é de elevação. As cidades de Marechal Deodoro, Pilar, Satuba, Santa Luzia do Norte, Maceió e Coqueiro Seco sofrem risco de transbordamento, diz a secretaria.

O nível do rio Jacuípe ultrapassou a cota de transbordo e permanece com tendência de elevação, atingindo o município de Jacuípe.

O rio Coruripe alcançando a cota de transbordo em alguns pontos e permanece em elevação, atingindo os municípios da bacia. A barragem de Coruripe e o Açude Igaci estão vertendo e impactando o município de Coruripe.

Ainda neste sábado, informa a Semarh, os rios São Miguel, Jequiá, Conduípe, Traipú, Dois Riachos e Capiá estão em elevação com pontos de transbordo. Há risco de transbordamento.

Os níveis dos rios Santo Antônio, Camaragibe e Manguaba estão em elevação, com pontos de transbordo de suas respectivas calhas. O risco de transbordamento permanece.

O rio Ipanema está com nível elevado, mas deve estabilizar e diminuir neste sábado. A situação requer monitoramento contínuo da região, segundo a pasta.

Em relação a pequenos rios e riachos, incluindo a região metropolitana de Alagoas, também há risco de transbordamento.



O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Variedades

+ Variedades