Compartilhe este texto

PF dispensa depoimento de ex-assessor de Bolsonaro, e defesa alega coação

Por Folha de São Paulo

23/02/2024 10h00 — em
Política



BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A Polícia Federal dispensou na quinta-feira (22) o coronel da reserva Marcelo Camara, ex-assessor de Jair Bolsonaro (PL), sob a justificativa de que ele não estava acompanhado de seu advogado.

A defesa de Camara é composta pelos mesmos advogados de outro investigado, Tércio Arnaud, cujo depoimento teve cerca de 150 perguntas e durou mais de seis horas. Sem que a oitiva de Tércio tivesse terminado, a PF iniciou o depoimento do militar —que, sem advogado, optou pelo silêncio.

"[Camara] não teve oportunidade de responder as perguntas pois a autoridade policial disse que não tinha tempo de aguardar o encerramento do depoimento de Tércio Arnaud", disse o advogado Eduardo Kuntz, em nota.

"Em razão disso, foi coagido a usar do silêncio, sem a presença de sua defesa técnica. Algo totalmente novo, reprovável e que não se pode admitir em um Estado Democrático e de Direito."

A defesa de Camara enviou nesta sexta-feira (23) um documento para o gabinete do ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), para reclamar da situação e pedir a convocação de novo depoimento.

Segundo o advogado, Camara tem a "intenção de colaborar com as investigações e com a correta elucidação dos fatos respondendo todas as perguntas possíveis".

Fontes da Polícia Federal, porém, afirmaram à Folha que não veem necessidade no depoimento do ex-assessor de Bolsonaro e pretendem não fazer nova convocação.

Procurada, a PF não se manifestou até a publicação desta reportagem.


Siga-nos no
O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Política

+ Política