Partido Novo suspende temporariamente Filipe Sabará e paralisa campanha à Prefeitura de SP

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

23/09/2020 22h04 — em Política

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O conselho de ética do Partido Novo decidiu, nesta quarta-feira (23), suspender temporariamente os direitos de filiação de Filipe Sabará, candidato da legenda à Prefeitura de São Paulo.

A decisão coloca em risco a continuidade da candidatura, que já foi registrada junto à Justiça Eleitoral.

Como consequência, o diretório nacional do Novo orientou o diretório municipal de São Paulo a suspender as ações de campanha até que o caso seja julgado em definitivo pelo conselho de ética.

O partido afirma ter recebido denúncias que deram origem a processos disciplinares contra Sabará, mas não detalha quais são essas acusações.

Em e-mail do diretório nacional a seus filiados, enviado na noite desta quarta, o partido comunica que a decisão da comissão corre em sigilo e que o filiado terá um prazo determinado para manifestar sua defesa.

Procurado, o candidato não respondeu a respeito da suspensão de sua campanha até a publicação da reportagem.

Nesta quarta, o Painel mostrou que Sabará retificou sua declaração de bens à Justiça Eleitoral --passando de R$ 15 mil para R$ 5 milhões.

No documento que enviou em 19 de setembro, Sabará declarou R$ 15.686 em bens. Filiados do Novo passaram a criticar o que viram como falta de transparência do candidato, que é herdeiro do Grupo Sabará, gigante da indústria química voltada à fabricação de cosméticos, com faturamento acima de R$ 200 milhões em cada um dos últimos anos.

Em retificação enviada em 21 de setembro, declarou ter, na verdade, R$ 5,1 milhões, divididos entre ações de uma empresa de cosméticos (R$ 5 milhões), aplicações e valores em conta. Na declaração original, as ações da empresa estavam avaliadas em R$ 8.000.

Em documento enviado ao Tribunal Regional Eleitoral, o advogado de Sabará, Ricardo Stella, atribuiu a diferença de valores a "um lapso".

Sabará já vinha enfrentando oposição dentro de seu próprio partido. Sua defesa contínua de medidas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem sido recebida negativamente na legenda.

Na semana passada, Sabará entrou em conflito com João Amoêdo, candidato do Novo à Presidência em 2018 e principal líder do partido.

Amoêdo deu um pito público a Sabará pela escolha de Paulo Maluf como um bom prefeito. O dirigente chegou a dizer que espera do diretório paulista as providências cabíveis sobre a declaração.

"Teve suas questões de corrupção, foi condenado, mas fez muita coisa. Imagina São Paulo sem as obras do Maluf", disse Sabará no programa Pânico da Jovem Pan.

"A citação de um político corrupto como exemplo de gestão é inadmissível. O 'rouba, mas faz' fere frontalmente os valores e princípios do Novo. Essa prática não pode ser endossada por ninguém do partido", tuitou Amoêdo.

Sabará respondeu que não defendeu o "rouba, mas faz". "Dizer quem foi um bom prefeito não é tarefa fácil. A maioria não realizou nada. E os que realizaram, roubaram", afirmou.

Sabará foi escolhido candidato à Prefeitura de São Paulo em processo seletivo do Novo que teve cerca de 70 concorrentes.

No último dia 5, a convenção do Novo, que confirmou Sabará e Marina Helena como sua vice, foi feita em formato drive-thru no estacionamento da Câmara Municipal. Sabará defendeu um estado enxuto e a geração de emprego e renda.

"Isso é a nova e boa política que a sociedade tanto pede. O Novo também é o único partido que não usa dinheiro público. Uma vergonha para o Brasil todos os outros partidos que usam dinheiro que poderia ser investido na Saúde, por exemplo, para fazer campanha política, mas nossa resposta vai vir nas urnas", disse.

Sabará foi secretário de Assistência e Desenvolvimento Social da prefeitura na gestão João Doria (PSDB) e foi presidente do Fundo Social do Estado de São Paulo, também na gestão de Doria. Ele pediu demissão no ano passado para concorrer.

Empresário, Sabará é fundador de associação que insere moradores de rua no mercado de trabalho, ação que também desenvolveu na prefeitura, e de empresa de cosméticos naturais. Também idealizou um programa de produção de alimentos em terrenos baldios e se especializou em sustentabilidade.

+ Política