Compartilhe este texto

Nunes patina nas redes, Boulos tem força no Facebook e Marçal lidera no TikTok e Instagram

Por Folha de São Paulo

24/06/2024 4h00 — em
Política



SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A liderança no engajamento ou audiência dos perfis dos principais pré-candidatos à Prefeitura de São Paulo varia a depender da rede social analisada, segundo levantamento da Escola de Comunicação, Mídia e Informação (ECMI) da FGV.

Atual prefeito e empatado tecnicamente com o deputado federal Guilherme Boulos (PSOL) nas intenções de voto, segundo pesquisa Datafolha, Ricardo Nunes (MDB) patina em audiência e interação em todos os seus perfis pessoais.

Já o psolista, que também é forte no X (ex-Twitter), lidera em engajamento apenas no Facebook. O influenciador e empresário Pablo Marçal (PRTB), por sua vez, fica à frente no Instagram, onde tem larga vantagem em relação aos demais postulantes, e no TikTok.

Forte nas redes, Marçal pontuou entre 7% e 9% em diferentes cenários testados pelo Datafolha, preocupando aliados do prefeito Ricardo Nunes com sua ascensão e uma eventual divisão de votos da direita.

O deputado federal Kim Kataguiri (União Brasil), que fica na dianteira no YouTube e no X, aparece nas duas primeiras colocações em todas as redes, com exceção do Facebook.

Já a também deputada Tabata Amaral (PSB) fica em segundo lugar no Facebook e tem tido um crescimento de engajamento nessa rede maior do que Boulos, segundo o levantamento. No TikTok e no Instagram, ela aparece em terceiro.

Assim como Nunes, a pré-candidata Marina Helena (Novo) teve baixas métricas, enquanto José Luiz Datena (PSDB) não movimentou seus perfis no período.

O levantamento da ECMI-FGV analisou as postagens dos pré-candidatos ao Executivo paulistano no período de 1º de abril a 16 de junho. Os dados foram agregados por semana.

No Facebook, Instagram e X, foram analisadas as interações, o que inclui fatores como curtidas, comentários e repostagens. Já no YouTube e no TikTok, foram consideradas as visualizações dos vídeos.

Eurico Matos, professor da ECMI-FGV e pesquisador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Democracia Digital (INCT.DD), avalia que um dos fatores que podem explicar a diferença de engajamento dos perfis nas diferentes redes é o entendimento das equipes dos pré-candidatos e de suas equipes sobre as dinâmicas e o público de cada uma delas.

Ele diz ainda que, enquanto o Facebook é uma rede que tem perdido em relevância, o TikTok ganha em importância, na medida em que potencializa uma reverberação multiplataforma, já que a própria rede facilita o compartilhamento dos conteúdos tanto nos aplicativos concorrentes quanto nos de conversa, como o WhatsApp.

Ele destaca que, nessas redes em que o vídeo é mais forte, os pré-candidatos alinhados ao campo da direita apresentam, de modo geral, mais força.

Em seu Instagram, Nunes aparece em agendas com a população e divulgando obras e medidas que sua gestão estaria tocando. Ele é o único entre os pré-candidatos que postaram vídeos no período que ficou abaixo de 1 milhão de interações na plataforma. Um post dele com o apresentador Ratinho é um dos destaques do período.

A título de comparação, o relatório analisou ainda os perfis da prefeitura de São Paulo nas diferentes redes sociais. Com exceção do TikTok, onde conteúdos sobre o combate à dengue e a Virada Cultural conseguiram algum alcance, os perfis institucionais tiveram volume de interações menores que os dos perfis do prefeito.

Guilherme Boulos, por sua vez, se destaca no Facebook. Seus conteúdos de maior engajamento no período na rede foram descontraídos, como um em que comemora o aniversário de 100 anos de sua avó e outro em que segura um gato no colo.

No TikTok, por outro lado, Boulos fica em quarto lugar, assim como no Instagram –nesta última, porém, sua tendência tem sido de crescimento. Nas duas redes, lideram Marçal e Kataguiri.

Já no X, comumente associado a manifestações de autoridades e voltado ao debate político, enquanto os dois deputados têm uma linha de interações mais consistente, a de Marçal se resume a picos.

No período analisado, as métricas dos perfis do influencer tiveram destaque especialmente em meio a acusações de fake news sobre a tragédia no Rio Grande no Sul no início de maio, quando ele foi um dos alvos de pedido de investigação do governo Lula (PT).

Conforme destaca a FGV, desde que teve sua pré-candidatura lançada pelo PRTB, no fim de maio, Marçal tem mudado a toada de suas postagens no Instagram, intensificando mensagens relacionadas a política e deixando posts motivacionais em segundo plano. Também no TikTok, ele tem seguido tendência semelhante.

Kataguiri, por sua vez, está na dianteira no YouTube, com destaque para vídeos críticos ao governo Lula e ao Judiciário.

No TikTok, onde aparece em terceiro lugar e tem nível de visualizações significativo, Tabata Amaral mistura conteúdos sobre sua trajetória de vida, falas sobre São Paulo, críticas a adversários, assim como vídeos descontraídos, como alguns junto ao namorado, o prefeito do Recife, João Campos.

Um de seus vídeos de maior audiência no período é um em que ela reage a uma declaração de Marçal, onde o influencer diz que ela quer ser prefeita, mas que, pela sua análise, ela viria a ser somente primeira-dama.


Siga-nos no
O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Política

+ Política