MPF diz que Coaf agiu de forma impessoal ao reunir 34 comunicações suspeitas de Wassef e arquiva inquérito

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

22/06/2021 13h05 — em Política

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Ministério Público Federal pediu o arquivamento do inquérito aberto para apurar possíveis irregularidades na produção de um relatório pelo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) sobre transações suspeitas de Frederick Wassef, advogado e amigo de Jair Bolsonaro e de sua família.

Para o MPF, o Coaf apenas produziu e enviou o documento para órgãos de fiscalização seguindo critérios técnicos e de forma impessoal após receber 34 comunicações de transações atípicas do advogado.

As comunicações partiram do BTG Pactual, Caixa, Itaú, Bradesco e de duas corretoras de câmbio.

Como mostrou o Painel, investigação havia sido instaurada a pedido do Tribunal Regional Federal da 1ª Região que entendeu ser ilegal o documento produzido pelo Coaf.

“Como se pode observar, não houve quebra indevida de sigilo bancário ou fiscal, tão pouco vazamento indevido de informações praticados por agentes do Coaf uma vez que o RIF foi produzido de acordo com as normas de regência e com esteio em com esteio em comunicações prestadas por variadas instituições financeiras”, diz o MPF.


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

+ Política